Páginas

domingo, 25 de novembro de 2018

Boca Juniors precisa ser declarado campeão

Se o negócio fosse sério o Boca Juniors seria declarado campeão.

Espero que ainda seja e que não tenha jogo.

Em 2015, no episódio do gás de pimenta, o Boca foi eliminado de forma merecida.

Mas a Conmebol, que já protege os argentinos, gosta ainda mais do River Plate. Só nessa Libertadores o time teve jogador irregular, treinador trabalhando suspenso e agora ônibus apedrejado e jogadores feridos.

A situação também é consequência da cultura da violência enraizada nas torcidas sul-americanas.

quarta-feira, 21 de novembro de 2018

O fim da era Hemerson Maria

Terminou a era Hemerson Maria no Vila Nova.

O treinador estreou no dia 13 de maio de 2017 e fará o seu último jogo no sábado, 25 de novembro, contra o São Bento em Sorocaba/SP.

Ao completar 1 ano, 6 meses e 12 dias será o treinador mais longevo da história do clube. Superando Márcio Fernandes que ficou pouco mais de um ano entre 2015 e 2016.

A permanência de treinadores por mais tempo nesta história recente mostra que o Vila Nova tem sido mais profissional. Neste período o time foi campeão da Série C e disputou o acesso à Série A duas vezes.

Voltemos ao Hemerson Maria.

No geral ele tirou mais do que time poderia dar. Mas em alguns momentos poderia ter feito mais.

Não perdeu nenhum clássico. De freguês passou a ser o terror para Goiás e Atlético.

Até agora foram 95 jogos, 37 empates, 22 derrotas e os tais 36 empates, muitos deles inexplicáveis, em casa, contra adversários da parte debaixo da tabela.

Faltou pouco.

Nisso tudo há de se compreender as limitações de um clube em estruturação, que em 2014 chegou ao fundo do poço rebaixado para a Série C e segunda divisão do Campeonato Goiano.

Hemerson Maria deixa como legado o sentimento de que o Vila Nova está no caminho certo.

Que Umberto Louzer, ex-Guarani, tenha também vida longa no cargo.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

Goiás: Do Z4 ao G4.

Imagine uma corrida com 38 voltas, onde um carro larga dos boxes na 8ª volta, de penúltimo chega a segunda colocação a uma volta da bandeirada final, onde no mínimo chegará em quarto. Esse foi o Goiás na Série B 2018.

Até a 7ª rodada só tinha 2 pontos.

Venceu a primeira na rodada 8.

Na 9ª rodada estava na penúltima posição.

Se no início ficou 7 jogos sem vencer e depois ficou 7 sem perder.

Terminou o primeiro turno em 9º.

Chegou ao G4 na rodada 21. De la pra cá só saiu na zona de classificação na rodada 23.

Conquista matematicamente o acesso com uma rodada de antecedência.

Venceu os dois clássicos contra o Atlético e perdeu os dois para o Vila Nova.

Conseguiu perder duas para o Boa Esporte.

Entre os 10 primeiros é o time com mais derrotas (13).

Tem a pior defesa do campeonato, 49 gols sofridos, ao lado de Atlético e Boa Esporte.

Tem o melhor ataque, 54 gols, ao lado do Fortaleza.

Pode ter o artilheiro, já que Lucão está a 1 gol de Dagoberto do Londrina.

Além do mérito aos envolvidos há de se destacar a participação do técnico Ney Franco. O treinador foi o divisor de águas na campanha do time goiano.

Contratação obrigatória para 2019.

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Final argentina na Libertadores. O que deu errado?

O futebol brasileiro começou a Libertadores com 8 times e nenhum chegou na final.

Seria uma crise técnica? Algo precisa ser repensado?

Menos né gente. Tudo na vida precisa ser melhorado, mas não vamos criar fantasmas. Não é o fim do mundo, não estamos no pós 7 a 1.

Para começo de conversa é time demais para uma competição que deveria ser mais enxuta. O torneio, criado para ser a disputa entre os melhores do continente, tem a participação de medianos que não conseguiram estar nem entre os melhores dos seus respectivos países.

Um deles foi a Chapecoense que já saiu na Pré-libertadores para o Nacional do Uruguai. Convenhamos, foi longe demais né?

Outro foi Vasco que passou para a fase de grupos e foi o único brasileiro que não foi para as oitavas. Pelos problemas dentro e fora de campo foi uma baita campanha.

Aí chegamos no mata-mata, onde Santos colocou um jogador suspenso para jogar e perdeu a classificação para o Independiente. Tinha condições de ir mais longe, mas foi amador.

O limitado Corinthians foi eliminado pelo Colo-Colo do Chile.

O Cruzeiro tirou o Flamengo, depois enfrentou o Boca onde teve problemas com o VAR e a expulsão injusta do Dedé. Os jogos foram equilibrados, dava pra passar.

O Palmeiras com a melhor campanha da primeira fase por pouco não se complicou contra o Cerro Porteno por causa de uma expulsão do Felipe Melo, mas passou fácil pelo Colo-Colo em seguida.

O Grêmio passou nos pênaltis contra o Estudiantes e depois atropelou o Atlético Tucúman com 6 a 0 no agregado.

E veio a semifinal. Os brasileiros poderiam ser considerados favoritos, mas não absolutos.

O Felipão me inventa de colocar o Palmeiras dando chutão no jogo de ida, perde por 2 a 0 e azeda o doce.

E o Grêmio, com a classificação nas mãos, foi engolido em casa pelo bom time do Ríver Plate.

E vamos às perguntas do início:

Seria uma crise técnica? Algo precisa ser repensado?

Não é bem assim. Primeiro devemos dar mérito a quem passou. Depois podemos questionar as estratégias, faltou coragem para o Palmeiras no primeiro jogo e personalidade para o Grêmio no jogo de volta.

Vale lembrar que o Grêmio ainda pode ir para a final. O tribunal da Conmebol ainda vai julgar o caso do treinador Marcelo Gallardo, do Ríver.

Inclusive, em sua conta oficial no Twitter, a entidade publicou uma imagem da final com o asterísco: "(*) Sujeito à decisão da Unidade Disciplinária com respeito ao protesto do Grêmio".

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Vídeo comentário: CASO MARCELO GALLARDO, O GRÊMIO TEM RAZÃO?

A malandragem de Marcelo Gallardo

Eliminado pelo River Plate nesta terça-feira, o Grêmio pede os pontos da partida e consequentemente a sua classificação para a final da Libertadores da América.

O protesto vai se baseia na irregularidade cometida por Marcelo Gallardo.

O técnico espertalhão, que estava suspenso pela Conmebol, utilizou um rádio para se comunicar com os auxiliares no gramado.

Não satisfeito, mostrando toda a sua falta de caráter ainda teve a aúdácia de entrar no vestiário no intervalo do jogo.

Depois da partida, em entrevistas admitiu que não acatou a ordem da entidade máxima do futebol sul-americano e não se arrepende do que fez.

O Grêmio alega que essa interferência externa, de uma pessoa que estava impedida de participar do jogo, influenciou no resultado.

Se interferiu? Acredito que sim.

Se merece ir para a final? Também acredito que seria justo.

O Ríver e seu treinador usaram deliberadamente de atitudes anti-desportivas e levaram vantagem com isso.

Mas não acredito que a Conmebol fará isso.

O que é lamentável.

Mas o futebol brasileiro não toma vergonha, no ano que vem tudo será do mesmo jeito, irão priorizar a competição em que sempre estão em segundo plano.

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Definido o Goianão 2016. Campeonato poderá ser decidido nos pênaltis.

Os clubes decidiram manter a fórmula de disputa dos últimos anos para o próximo Goianão 2016.

Na primeira fase dois grupos com cinco times em cada grupo. No primeiro e no segundo turno jogos do grupo A contra grupo B, no terceiro os jogos acontecem dentro dos respectivos grupos.

Grupo A: Goiás, Anápolis, Trindade, Itumbiara e Crac.

Grupo B: Atlético, Vila Nova, Anapolina, Goianésia e Aparecidense.

Ao término da 1ª Fase, se classificam quatro clubes: os líderes de cada grupo e os dois melhores colocados na classificação geral entre os demais. Serão rebaixados os dois clubes de pior campanha no Campeonato, independentemente do grupo a que pertençam.

A única novidade é que não tem mais vantagem de dois resultados iguais para os times de melhor campanha nas fases finais.

Em caso de dois empates, ou vitória e derrota com igualdade de saldo de gols, a definição da equipe classificada será nos pênaltis.

A "vantagem" será apenas o segundo jogo em casa.

O Goiás chegou a sugerir turno e returno, com os campeões de cada turno decidindo o campeonato. Seria a melhor fórmula, com 20 datas, porém só estão disponíveis 19 e uma deve ficar de reserva para alguma eventualidade.

A Aparecidense apresentou uma proposta de dois grupos com cinco times em cada grupo, jogos em turno e returno, grupo A contra grupo B, classificam-se oito para a segunda fase.

Opinião

Eu esperava alguma novidade.

É um retrocesso o fim da vantagem para os times de melhor campanha.

Boa sorte ao Goianão 2016.