terça-feira, 2 de setembro de 2014

Brasileirão 2014: 18 técnicos caíram em 18 rodadas

A média é de um técnico a cada rodada.

18 trocas de treinador em 18 rodadas.

12 times trocaram de treinador.

8 equipes mantiveram seus técnicos, sendo que 4 delas compõem o G4.

Todos os times da zona de rebaixamento já trocaram de treinador.

O que acontece?

Os times trocam de técnico por que estão mal ou estão por que vivem trocando de técnico?

Treinadores que caíram no Brasileirão:

Atlético-MG: Paulo Autuori
Atlético-PR: Miguel Ángel Portugal e Doriva
Bahia: Marquinhos Santos
Chapecoense: Gilmar Dal Pozzo
Coritiba: Celso Roth
Criciúma: Caio Júnior e Wagner Lopes
Figueirense: Vinícius Eutrópio e Guto Ferreira
Flamengo: Jayme de Almeida e Ney Franco
Grêmio: Enderson Moreira
Palmeiras: Gilson Kleina e Ricardo Gareca
Santos: Oswaldo Oliveira
Vitória: Ney Franco e Jorginho

Obs.: Destes 18, apenas Ney Franco teria pedido demissão no Vitória.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Falta de responsabilidade. Vila Nova contrata mais um jogador que não vai resolver.

Geladeira, mais um que não vai resolver
Para escapar do rebaixamento o Vila Nova precisa de 13 vitórias em 24 jogos.

Isso representa 54% de aproveitamento. É um rendimento de time que está no G4. Ou seja, por exemplo, o Vila de uma hora para outra tem que virar um Joinville (4º colocado).

E mesmo virtualmente rebaixado o Vila Nova permanece insistindo nos mesmos erros.

Um time sem planejamento e que mesmo sem recursos vive contratando e demitindo de forma desenfreada. Roni, diretor de futebol, já vai para a sua 29ª contratação em menos de 5 meses no cargo.

Vem aí o Gustavo Geladeira, um zagueiro limitadíssimo, que não se destacou em time nenhum, rebaixado no Atlético/GO em 2012. Essa "fria" vem com contrato até o final do campeonato.

Ao invés de começar a montar uma base para 2015 o time segue contratando jogadores que não ficarão no clube no ano que vem.

A contratação de Geladeira é uma irresponsabilidade.

Mais do mesmo. Um time com atitudes esquisitas.

Isso seria "ESQUEMA" ou "INCOMPETÊNCIA"?

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Confronto de craques do passado para comemorar o aniversário do Vila Nova


Tigrão celebra 71 anos com jogo comemorativo no Oba
 Vila Nova Master x Amigos do Viola será nesta terça-feira (5/8)
 O Vila Nova vai comemorar seus 71 anos com estilo. Na próxima terça-feira, dia 5 de agosto, o estádio Onésio Brasileiro Alvarenga será palco de um jogo festivo entre dois times recheados de ídolos: Vila Nova Master e Amigos do Viola. O evento será às 19h, e os ingressos já estão à venda.
 O bilhete custa R$ 20 mais 1 kg de alimento não perecível (opcional). Sócio Tigrão que estiver adimplente tem entrada gratuita. A venda antecipada ocorre on-line, na Bilheteria Digital, no Sócio Tigrão (Oba) e nas lojas Rival. Todo alimento arrecadado será destinado à Paróquia Sagrada Família.
 Vila Nova Master
Futebolista conhecido no cenário nacional, Paulo Nunes não esconde de ninguém sua torcida pelo Vila Nova. O atacante nunca chegou a defender as cores do clube, mas agora terá a oportunidade de vestir a camisa do Tigrão no jogo festivo ao lado de vários ídolos, como Bé, Roni e Tim.
A turma que fez história ao vencer o Goiás de virada por 5 a 3 (em 1999) também vai jogar pelo Vila Nova Master. O artilheiro Anderson, autor dos dois primeiros gols daquele memorável clássico, já está escalado. Leonardo, que fez o gol do meio de campo, também confirmou presença. Será que o zagueiro conseguirá repetir o feito?
 Outros ex-atletas que vão marcar presença em campo são os campeões brasileiros de 1996 Christian, Cacá e Vladimir. No gol, o Master contará com Enival, campeão goiano de 1993 e 95, além de Max, que teve passagens pelo Tigrão há alguns anos.
Amigos do Viola
Se de um lado é escalada uma seleção de craques que brilharam pelo Vila Nova, do outro há uma equipe com ex-campeões mundiais pelo Brasil. Viola, Aldair e Ronaldão, que conquistaram o tetracampeonato mundial pela seleção canarinho em 1994, voltam a jogar juntos duas décadas depois nos gramados do Oba.
Flávio Conceição, que brilhou no Real Madrid no início dos anos 2000, é presença confirmada. Ainda reforçam o time o ex-volante Amaral, o ex-meia Robert, o ex-goleiro Paulo Victor, além de vários outros craques renomados no cenário nacional.
Antes da bola rolar, a direção do Vila Nova vai promover uma série de homenagens a atletas que fizeram história no clube e funcionários. Também está previsto um amistoso da escolinha do Tigrão.
Serviço
Jogo dos famosos - 71 anos do Vila Nova F.C.
Vila Nova Master x Amigos do Viola
Onde: estádio Onésio Brasileiro Alvarenga, em Goiânia
Ingressos: R$ 20 mais 1kg de alimento não perecível. Sócio torcedor adimplente tem entrada franca.
Venda antecipada: Sócio Tigrão (Oba), Lojas Rival e Bilheteria Digital (www.bilheteriadigital.com/vilanova)
Informações: (62) 3932-0277

Márcio Araújo, o homem do baú

Márcio Araújo é o novo técnico do Bahia.

O time baiano, seguindo a linha do Flamengo e Grêmio, recorre ao passado para resolver o problema do presente.

Márcio trabalhou no clube em 2010, quando levou o time à Série A.

Mas, uma coisa não na a haver com outra. O problema do Bahia está no time e na gestão. Trocaram muitos jogadores no período da Copa e agora mexeram até na diretoria de futebol. Trouxeram Rodrigo Pastana que estava comandando o futebol do Figueirense, o lanterna do campeonato.

Ou seja, as mudanças não são promissoras.

E sobre Márcio Araújo vai aqui uma historinha:

No dia 20 de Setembro de 2007 o Goiás, em situação difícil no Campeonato Brasileiro, anunciava a contratação do técnico Márcio Araújo.

A apresentação do treinador para os jogadores aconteceu de uma forma marcante.

Todos foram chamados para o vestiário do CT.

O pessoal da rouparia chega empurrando um contêiner, aquele baú grande, de metal, usado para carregar chuteiras e uniformes nas viagens.

Um funcionário do clube aparece e em voz alta avisa os jogadores:

- Aqui dentro está a solução para os nossos problemas!

E eis que o baú é aberto e de lá sai Márcio Araújo.

Segundo as versões das testemunhas do fato inusitado a atitude foi recebida com risos e espanto.

Na época o novo treinador tentou dar uma descontraída no clima. Não deu certo, o Goiás colecionou derrotas e Márcio caiu no penúltimo jogo.

O Goiás só escapou do rebaixamento na última rodada ganhando um jogo do Internacional.

Jogo, que por sinal, o não interessava muito ao Inter, pois a vitória do Goiás selava o rebaixamento do Corinthians. Mas essa é outra história...

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Marcão no Vila Nova?

O atacante Marcão, de 28 anos, ex-Atlético-GO, está acertado com o Vila Nova.

Marcão pertence ao Atlético-PR, passou pelo Bahia neste ano e não está nos planos no Furacão. No ano passado ele já tinha sido emprestado ao América-MG.

Só falta a liberação do Atlético-PR.

Opinião:

Se o empréstimo valer para 2015 compensa.

Se for só para a Série B desse ano só vale se o Atlético/PR pagar os salários.

Se for fazer algum investimento, nessa condição do campeonato, será uma irresponsabilidade do Vila Nova.

O Marcão poderia ser interessante se viesse no início, agora não dá mais, não resolve.

O Vila deve parar de pensar a curto prazo. O clube precisa se planejar.

Jogador contratado pelo Vila fica em média 3 meses no clube. Marcão no Vila só até o fim do ano não vai resolver o problema.

terça-feira, 29 de julho de 2014

Logo o Neymar?

A nova comissão técnica da Seleção Brasileira não está apresentando, pelo menos nos discursos, algo novo para a Seleção Brasileira.

Gilmar Rinaldi e Dunga demonstraram nas entrevistas que estão mais preocupados com o que a Seleção tem de melhor: Neymar.

Gilmar criticou a forma de apoio a Neymar antes do jogo contra a Alemanha, onde cada jogador entrou em campo com bonés escrito "Força, Neymar". Ele preferia um "Força, Bernard".

Ora bolas, que bobagem. Para começo de conversa os jogadores só souberam quem iria jogar no dia do jogo. Como confeccionariam um boné? O "ex-empresário" deveria era lembrar que a estratégia do treinador é que foi equivocada. Uma declaração dessa só desvia o foco do péssimo trabalho feito por Felipão.

Dunga também implicou com o jogador, que pintou o cabelo durante a Copa.

E daí?

Neymar é a maior revelação do futebol brasileiro nos últimos tempos, desde 2009 ele troca de penteado e cor de cabelo como troca de roupas. Isso não vem impedindo que ele seja um jogador determinado, bom de grupo, obediente taticamente e que faz a diferença na maioria dos jogos.

Dunga não quer que ninguém apareça mais do que o outro no grupo. Tudo bem, legal. Mas será que ele vai se vestir novamente como se estivesse em um baile de carnaval? Na entrevista para o Fantástico ele disse que vai depender do "momento". Então o Neymar não pode usar um boné escrito Neymar e ele pode se vestir como quiser?

Pelo jeito Neymar não terá vida fácil na Seleção Brasileira. Dunga é carrancudo. Até hoje não admite que errou ao não levá-lo para a Copa de 2010. E não aparenta concordar que ele seja imprescindível.

Neymar não foi, não é e nem será em nenhum sentido, problema para a Seleção.

Dunga já começa no caminho errado.

O Brasil precisa é evoluir taticamente, e disso o Dunga não falou até agora. Pelo contrário, ele disse que o futebol não mudou. Seguindo essa linha ele vai fracassar.

Acabou a época do volante "Brucutu", do meia que não marca e do centroavante paradão na área. O futebol mudou e muito.

De volta para o passado

Terminada a Copa do Mundo se esperava que o futebol brasileiro olhasse para para frente.

A esperança era de uma renovação das idéias.

Aí a CBF contratou o Dunga.

O Flamengo trouxe Luxemburgo.

E agora o Grêmio traz Luiz Felipe Scolari.

O técnico dos 7 a 1, o Felipão que rebaixou o Palmeiras.

Retrocesso.

O critério de planejamento é completamente controverso. Sai de Enderson Moreira, um técnico jovem, para um em fim de carreira.

Daqui a duas rodadas o Grêmio pega o Inter no Beira-Rio. Dois jogos depois enfrenta o Cruzeiro.

Felipão assume o Grêmio em 10º.

Conseguirá ele um 3º lugar como o que Luxemburgo conseguiu no Grêmio em 2012.

Conseguiria ser vice campeão como foi Renato Gaúcho no ano passado?

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Imoral? ilegal? Goiás e Vila decidem "cumprir" perda de mando de campo

Goiás e Vila Nova perdem mando de campo na terça e "decidem" cumprir nos seus jogos quarta e quinta.

Dessa forma, o duelo entre Goiás e Anápolis, às 22h, na Serrinha, e o confronto entre Vila Nova e Goianésia, na quinta-feira, às 19h30, no Serra Dourada, terão portões fechados.

Os clubes pediram para cumprir imediatamente as penas e o TJD/GO e a FGF aceitaram.

Uma decisão que, juridicamente, é altamente questionável.

Vamos aos pontos:

Primeiramente o Estatuto do Torcedor foi descumprido: "Art. 20. É direito do torcedor partícipe que os ingressos para as partidas integrantes de competições profissionais sejam colocados à venda até setenta e duas horas antes do início da partida correspondente."

Se os ingressos estavam à venda, os clubes não poderiam "fechar os portões". Não é elementar meu caro leitor?

E ainda, o TJD publicou que a pena de cada time foi: "PERDA DE UM MANDO DE CAMPO COM PORTÕES FECHADOS MAIS A MULTA DE R$ 10.000,00 (DEZ MIL REAIS)"

Na decisão não há nada que especifique que a perda do "mando de campo" será na casa do time que perdeu o mando de campo.

Na minha humilde interpretação da frase os clubes teriam que cumprir a pena em outro estádio e sem torcida.

Mesmo assim a decisão do tribunal não poderia especificar a forma de cumprimento da pena, já que a "perda" do mando de campo é determinada pelo regulamento da competição:

Olhem o que diz o inciso 2º do artigo 175 do código: A forma de cumprimento da pena de perda de mando de campo, imposta pela Justiça Desportiva, é de competência e responsabilidade exclusivas da entidade organizadora da competição, torneio ou equivalente, devendo constar, prévia e obrigatoriamente, no respectivo regulamento.

E no Regulamento Geral das Competições da Federação Goiana de Futebol diz:

Art. 12 - Nos casos em que uma associação for apenada com perda de mando de campo, caberá exclusivamente à Diretoria da Federação Goiana de Futebol, determinar o local onde a partida deverá ser realizada, a qual não poderá ser na mesma cidade sede da associação apenada, no entanto sem restrição de distância da cidade sede desta associação, com cobrança normal de ingressos ao público, sendo o estádio substituto, já possuidor dos Laudos do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da Vigilância Sanitária.

E o inciso único desse mesmo artigo diz: A Federação Goiana de Futebol somente executará a pena de perda de mando de campo na partida que venha a ocorrer após decorridos cinco dias úteis da decisão da Justiça Desportiva que a impuser, tendo em vista os prazos necessários para as ações logísticas relacionadas com a mudança do local do jogo.

A justificativa das partes para ignorar esse artigo é que o termo "PORTÕES FECHADOS" na decisão do TJD deixou o regulamento omisso.

E toda essa manobra foi para que o Goiás e Atlético não seja com portões fechados.

Será no mesmo Serra Dourada, o ringue dos brigões.

Ou seja, uma vergonha.