Páginas

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Nervosinho

Quando estiver nervoso, não tome atitudes e não diga nada, pois a provavelmente a atitude que tomar será a errada. Um exemplo disso foi o vice-presidente de futebol do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro, que enfurecido com a arbitragem da assistente Ana Paula Oliveira ontem, contra o Figueirense, pela Copa do Brasil, acabou dizendo um monte de bobagens.

"Ela é totalmente despreparada. Errou dois lances seguidos. Não vejo mulher em Copa do Mundo, não vi mulher na final da Liga dos Campeões, nem nas decisões mais importantes do mundo, mas colocaram uma mulher hoje, justo contra o Botafogo, que nos deu um prejuízo de R$ 2,5 milhões, além da tristeza e sofrimento da torcida e abatimento dos jogadores", desabafou o dirigente.

Ana Paula Oliveira anulou dois gols do Botafogo no primeiro tempo em lances duvidosos. O primeiro, marcado por Zé Roberto, e o outro, por Vagner."Agora ela vai para casa dormir e dizer que errou. Essa mulher não chega mais perto do Botafogo. Vamos mandar um ofício para o Edson Rezende [presidente da Comissão Nacional de Arbitragem]. O correto seria tirar ela do futebol", continuou Montenegro.

Na reclamação inflamada do dirigente, sobrou críticas até para a equipe adversária. "O Figueirense é um time medíocre. Não passou do meio de campo. Foi ajudado por uma falha do nosso goleiro, mas principalmente no primeiro tempo, quando já poderia ter sido nocauteado", declarou.

Por fim, Montenegro sugeriu uma profunda investigação na arbitragem brasileira. "O futebol está precisando da Policia Federal. Talvez uma operação navalha para tirar essas pessoas que roubam dos clubes. Não sei se sem querer ou se por querer. Mas dois lances seguidos?", encerrou.

Reclamar é um direito que ele tem, mas dizer que ela errou por ser mulher aí é outra coisa, tem muito marmanjo apitando e errando pelo mundo. Menosprezar o adversário foi outra deselegante. E tem mais, porque ele não criticou o goleiro Júlio César?

Nenhum comentário:

Postar um comentário