Páginas

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Tô falando....

Era uma vez.... em um jogo de futebol no dia 24 de Janeiro de 2010, o jogador Pituca do Atlético deu um pisão no atleta Felipe do Goiás, o juiz não viu, mas o olho que não pisca, uma câmera de TV, registra o lance. Existia então, o corpo, a arma, a prova e o crime, só faltava um julgamento.

Eis que surge o Tribunal de Justiça Desportiva do Estado de Goiás, rápido e decidido. O primeiro julgamento é marcado em tempo recorde, 65 dias depois do ocorrido. E no dia da sessão, acabou que Pituca não foi julgado, devido ao fato de que o presidente do TJD/GO, Clodonir Ferreira Pimentel, ter rejeitado o pedido da Procuradoria e acatar a queixa do clube.

Tentando explicar: É que houve um erro material na denúncia. A Procuradoria enquadrou o jogador e, ao mesmo tempo, o Goiás ofereceu uma queixa contra Pituca, mas o Presidente do Tribunal concordou com um e discordou de outro sobre o mesmo assunto.

E ontem Pituca voltou à pauta do TJD/GO e se deu mal. O processo contra o jogador foi reaberto, com a formulação de uma nova denúncia, e ele respondeu por agressão física. Resultado: suspensão por quatro partidas, por maioria de votos.

A diretoria do Atlético vai entrar com o pedido de efeito suspensivo para garantir o jogador no restante do Campeonato Goiano. Deve conseguir e tudo terminará em pizza.

Um comentário:

  1. Nós temos a melhor federação do país, a FGF. Mas o setor judiciário ta uma vergonha... poderiamos ser um exemplo pro país... Que pena!

    ResponderExcluir