Páginas

sexta-feira, 16 de abril de 2010

TJD/GO trabalhando

O TJD de Goiás agora está agindo. Com o objetivo acabar com a impunidade no futebol Goiano.

João Victor Ribeiro, procurador do TJD/GO, quer a suspensão preventiva do goleiro Harley do Goiás e do volante Róbston do Atlético.

Harley, do Goiás, entrou em campo vestindo uma camisa de uma torcida organizada. A entrada de pessoas com trajes e adereços de torcidas organizadas está proibida nos estádios de Goiás. Harley, foi enquadrado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva que fala sobre assumir conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva, e pode pegar até seis jogos de gancho.

Robston fez um sinal de que o árbitro estava roubando e isso não pode.

Se forem punidos o Tribunal estará fazendo muito bem o seu trabalho.

Detalhe: A "prova crime" do Harley pode ser encontrada no site do clube.

Só um seguirá

Com um time cheio de volantes o Atlético conseguiu fazer bonito na Copa do Brasil, 2 a 1 no Santa Cruz fora de casa. A vantagem é muito grande para o jogo de volta na quinta-feira, mas com cobra coral não se brinca. O Botafogo também tinha uma boa vantagem e foi eliminado pelo Santa.

Já o Goiás está trazendo uma sacolada de gols de Salvador. Não vai se classificar. O time não deve nem vencer o Vitória por um placar magro, que dirá por cinco de diferença. Jorginho está pra cair, a culpa não é só dele, mas foi uma idéia que não deu certo, o Goiás não evoluiu em nada com ele.

terça-feira, 13 de abril de 2010

Viva o rei

A eleição do Clube dos 13, um assunto bastante polêmico, tomou conta dos noticiários nos últimos dias. Tive o cuidado de checar algumas informações e cheguei as seguintes conclusões:
  • Ricardo Teixeira ficou "p" da vida com Fábio Koff que antecipou as eleições para impedir que Kléber Leite tivesse mais tempo para fazer a sua campanha.

  • Koff e seus aliados não serão facilmente perdoados por Teixeira. A insurgência à "César" vai provocar um castigo a cada um deles.

  • O Goiás que inicialmente anunciou que estava com Koff virou a casaca por dois fatores: Viu que era melhor perder com Teixeira do que ganhar com Koff e ainda por gratidão a Kléber Leite que indicou o Goiás em 97 para o Clube dos 13.

  • A Federação Goiana de Futebol ganhou força com Teixeira ao ajudar a mudar o voto do seu filiado.

  • O Clube dos 13 está fadado a acabar, só serve pra dividir verbas da TV, assim que quiser a CBF, que realmente organiza o campeonato e negocia direto com a Globo, tem todas as armas para sufocar essa instituição que agora se mostra tão frágil. 

  • Fábio Koff, que nunca fez nada no Clube dos 13, agora no desespero, fala de chegar a 40 associados, na tentativa de evitar que apareça alguma Liga "Teixeira". Por que não pensou nisso antes?
E o que eu acho disso tudo? Acho graça. Acho é pouco. Por culpa dos dirigentes dos clubes, que votam e aprovam os estatutos da CBF, Ricardo Teixeira é o rei absoluto do futebol brasileiro. Quem foi seu opositor que agora implore clemência e aos seus aliados as beneces da corte.

    Copa do Brasil

    Depois de se duelarem pelo Campeonato Goiano, eles embarcaram no mesmo avião, Goiás e Atlético, os nossos dois representantes na elite do futebol nacional estão no Nordeste defendendo as suas respectivas permanências na Copa do Brasil.

    O Atlético tem mais chances de passar de fase, o seu adversário, o Santa Cruz, é menos difícil que o Vitória, adversário do Goiás. E ainda há de acrescentar que o rubro-negro vive um melhor momento do que o time esmeraldino.

    O Goiás, através do seu técnico Jorginho, ainda surpreende ao decidir em poupar os atacantes Fernandão e Felipe. O time de Ediminho, que ha pouco tempo disse que o estadual era um campeonato amador, dá mostras de que está priorizando o Goianão. Tudo bem que o Fernandão não vai fazer falta, mas Felipe, esse sim, será um baita desfalque.

    Já o Atlético está dando a mesma atenção às duas competições e só o medo de jogar pode tirar o Dragão de uma delas ou das duas. Geninho é o mecânico dessa máquina chamada Atlético, pegou um carro de corrida e está a transformando em um trator, o time passou a mostrar mais força e está perdendo a velocidade.

    segunda-feira, 12 de abril de 2010

    Fantasma na final

    Foi outro jogaço. A presença da torcida foi fantástica. Uma torcida colocou quase 20 mil pagantes no Serra Dourada, enquanto duas torcidas (Goiás e Atlético) levaram 23 mil.

    Assim como no sábado os jogadores no geral conseguiram superar as dificuldades do gramado, reformado se forma tardia e liberado antes do tempo. Como comprova essa foto do amigo Leonardo Iran.


    Buracos à parte, o Fantasma fez ontem o que vem fazendo na maior parte do campeonato. Um time sem boleiros, sem estrelas, sem altos salários, um técnico trabalhador e jogadores determinados. Do Vila Nova não se esperava tanto, a reação nas 5 vitórias foi acima da possibilidade do time. Valeu pela experiência e pela boa perspectiva que temos para o Brasileiro.

    O Vila Nova não reverterá essa situação, o Santa Helena está na final.

    domingo, 11 de abril de 2010

    Foi bom

    Goiás e Atlético fizeram um bom jogo ontem. Superaram o gramado que está longe de ficar razoável, em alguns momentos jogadores chutavam o chão e subia poeira com brita lembrando os campeonatos de terrão.

    O público foi excelente, mas de 23 mil pagantes, as duas torcidas apoiaram bastante e a beleza das arquibancadas fez com as visíveis falhas do gramado passassem despercebidas.

    O Goleiro Harley foi o destaque do jogo, então já dá pra notar quem mandou na partida e criou as melhores chances.

    Geninho e Jorginho, técnicos de Atlético e Goiás, não fizeram um bom trabalho. Com um bom trio de frente, com Fernandão, Felipe e Rafael Moura, Jorginho não conseguiu fazer que o seu time saísse da marcação do Atlético. Felipe foi razoável, Fernandão não jogou nada e o He-man foi o príncipe Adam. O Goiás não tem alternativas de jogadas ou seja: Está mal treinado.

    Geninho demorou 65 minutos para notar que seu lateral direito, o sonolento Márcio Gabriel, não estava jogando nada, Wesley entrou e foi muito melhor. O Atlético vai para o seu terceiro jogo sem marcar gols. O time está aprendendo a defender, mas não toca mais a bola com a facilidade de antes e perdeu sensívelmente seu poder ofensivo. Mesmo assim, ainda cria mais oportunidades e ontem perdeu a chance de liquidar o Goiás se o seu técnico fosse mais corajoso.

    Agora basta um empate ao Dragão, e essa é a tendência para o segundo jogo, sendo assim o Atlético é favorito para conquistar a vaga no próximo domingo.