Páginas

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Foi a grana

Daguestão: um dos lugares mais perigosos do mundo.
Não tem erro, o motivo foi o dinheiro.

Roberto Carlos está trocando São Paulo por uma cidade de cerca de 470 mil habitantes, Makhachkala, capital do Daguestão, a república mais ao sul da Federação Russa. É uma região de imensa variedade étnica onde os russos são minoria e a religião predominante é a islâmica. Embora bem mais calma do que a vizinha Chechênia, está longe de ser um oásis de tranquilidade: há registros de atividades terroristas organizados por grupos separatistas.

Olha essa notícia de segunda feira:

"Dois atentados suicidas deixaram pelo menos dois mortos e nove feridos nesta segunda-feira (14) no vilarejo Gubden, na província russa do Daguestão, informou o Ministério do Interior do Daguestão.

Por volta das 19h30, uma mulher detonou explosivos na delegacia da vila, matando um soldado e ferindo outros quatro.

Horas depois, um carro-bomba explodiu às 22h40, provocando a morte de pelo menos um policial e ferindo outros cinco. No momento da explosão da viatura, pessoas não identificadas atiraram contra a polícia.

Conforme informações da imprensa russa, o vilarejo Gubden é o reduto de um grupo armado, cujo chefe foi morto a tiros por agentes de segurança russos no ano passado."


Se não foi por causa do dinheiro, será que Roberto se sente mais seguro por lá?

Outro ponto: Será que essa proposta existia antes do Tolima?

Nenhum comentário:

Postar um comentário