Páginas

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Federação Catarinense quer proibir protestos contra Ricardo Teixeira

Esse é o Delfim, presidente da FCF desde 85
Uma tentativa ridícula de impedir protestos contra o "Al Capone" do futebol brasileiro.

Uma atitude que motivará ainda mais as pessoas a reivindicar a saída de Ricardo Teixeira.

A FCF (Federação Catarinense de Futebol), em um ato desesperado de "babaovismo", publicou nota oficial em seu site ameaçando expulsar do jogo entre Figueirense e Avaí os torcedores que levarem faixa pedindo a saída de Ricardo Teixeira da presidência da CBF. O clássico estadual está marcado para o próximo domingo (28), às 18h.

A Conatorg (Confederação Nacional das Torcidas Organizadas) convocou para a próxima rodada do Campeonato Brasileiro, na qual estão marcados vários clássicos regionais, um protesto contra o dirigente, envolvido em denúncias de corrupção à frente da entidade e acusado de usar o seu cargo para beneficiar amigos.

Na nota, a FCF diz ter o apoio das direções de Avaí e Figueirense e diz que os protestos contra Ricardo Teixeira ferem o estatuto do torcedor.

Leia a íntegra do comunicado da Federação Catarinense de Futebol, puxando o saco do Ricardo Teixeira:

"A Federação Catarinense de Futebol vem a publico manifestar seu repudio contra qualquer manifestação ofensiva, realizada em jogos no território de Santa Catarina, direcionada ao Presidente da Confederação Brasileira de Futebol, Dr. Ricardo Terra Teixeira, bem como à própria CBF.

Especialmente com relação a informações veiculadas na imprensa referentes ao clássico entre Figueirense e Avaí, válido pela Série “A” do Campeonato Brasileiro, que será realizado no próximo domingo, 28 de agosto, no estádio Orlando Scarpelli, as presidências das duas equipes também se mostraram absolutamente contrárias a este tipo de atitude por parte de seus torcedores.

A FCF ressalta que este tipo de manifestação se configura como uma infração ao Estatuto do Torcedor, cujo artigo 13-A, inciso IV, dispõe: “São condições de acesso e permanência do torcedor no recinto esportivo sem prejuízo de outras condições previstas em lei”- IV - “não portar ou ostentar cartazes, bandeiras, símbolos ou outros sinais com mensagens ofensivas, inclusive de caráter racista ou xenofóbico”.

O parágrafo único deste artigo estabelece que “o não cumprimento das condições estabelecidas neste artigo implicará a impossibilidade de ingresso do torcedor ao recinto esportivo, ou, se for o caso, o seu afastamento imediato do recinto, sem prejuízo de outras sansões administrativas, civis ou penais eventualmente cabíveis”.

A Diretoria e o Presidente da FCF, Dr. Delfim Pádua Peixoto Filho, reiteram sua parceria e seu apoio à Confederação Brasileira de Futebol e seu Presidente, Dr. Ricardo Teixeira, que sempre foi um amigo e deu suporte ao futebol catarinense. Lembramos ainda que “ninguém será considerado culpado até o transito em julgado ter sentença penal condenatória”, conforme trata nossa Constituição Federal, no inciso LVII do Artigo 5º.

A Federação Catarinense de Futebol deseja ainda que os jogos realizados no estado sejam momentos de confraternização e lazer para os torcedores, e que prevaleça o espírito esportivo, com paz entre as torcidas e destas com relação a todos os envolvidos no meio esportivo, sejam clubes, órgãos de imprensa ou entidades administradoras do desporto".

Um comentário:

  1. ERA só o que faltava!
    MAS felizmente o MPF agiu em tempo hábil, baixando recomendação que desautoriza a FCF de tal medida arbitrária.
    Postamos no 'BLOGUEdoValentim.com' a matéria.

    ResponderExcluir