Páginas

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Algumas verdades sobre o Vila Nova.

Criação: Igor Teles
Depois do meia Luiz Fernando, que se recusou a viajar com o elenco para Criciúma, o Vila teve mais uma baixa.

O gerente de futebol, Fabrinni Canedo, também pediu para sair.

Nos dois casos, os motivos não foram divulgados.

Sobre Luiz Fernando, dá para deduzir que tem outro time na jogada. Pode ser até o Atlético/GO. Não duvido de mais nada.

Fabrinni era funcionário da New Ville, que terceirizou o futebol do Vila Nova.

Omar Vasconcelos, conselheiro do Goiás e um dos sócios da empresa, também está afastado.

Só está sobrando o Sizenando no comando da empresa.

Algumas verdades

O Vila está parecendo um barco à deriva. As pessoas envolvidas no projeto estão pulando fora.

Ninguém sabe que manda lá.

Agora é torcer para que o time não caia de divisão. Que em 2012 tenha rumos diferentes.

Nem Barros, Sizenando e Geso. Com esses o Vila só regride.

Alguém perguntaria: Quem pegaria?

Não sei. Só sei que o Vila existia antes deles, ganhava até títulos de vez em quando, disputava umas Copinhas do Brasil e já era da Série B.

Outro alguém lembraria: Ah... mas o Vila devia muito?

Continua devendo, ó "sábio guru".

Agora a dívida é para uns dois ou três. Credores/administradores que gastaram mal no decorrer dos anos. Rios de dinheiro foram investidos em planejamentos equivocados que fizeram com que o clube contratasse em sete anos, dezenas de técnicos e cerca de 50 jogadores por temporada.

Não analiso as pessoas e sim o resultado das suas administrações. Todos são gente boa, humildes e sérios, mas não posso confundir as coisas.

Se Sizenando e Barros administrassem seus negócios, tal qual o futebol, o que seriam?

Por eles, o Conselho Deliberativo do Vila mudou estatutos, deu poderes a uma tal de CAD, fez parcerias como o G-20 e a New Ville.

Torcedores e imprensa foram feitos de palhaços com umas historinhas: "Com a CAD construíremos uma Arena para o Vila Nova" dizia Leonardo Rizzo. "O G-20 é a única salvação para o Vila Nova" ressaltava Carlos Alberto Barros. "O nosso planejamento com essa parceria (New Ville), é chegar à Série A.

Um engodo atrás do outro.

A mais nova é um tal de "Tijolinho". Uma campanha de arrecadação, junto ao torcedor, para construir um Super CT.

Haja paciência.

Jogo

Na zona do rebaixamento e precisando vencer para ascender na tabela, o Vila Nova enfrenta o Criciúma, nesta terça-feira, fora de casa, no Estádio Heriberto Hülse, a partir das 20h30.

O jogo será complicadíssimo.

Em casa, o Criciúma só perdeu uma partida, para o Paraná, por 2 a 1, na 12ª rodada.

Artur Neto deverá mandar a campo, a seguinte formação: Michel Alves, Luizinho, Augusto, Bem-Hur e Marquinhos; Jairo, Vítor Rossini , David e Davi Ceará ; Roni e Leandro Cearense.

6 comentários:

  1. André, volto a repetir o que eu já disse dias atrás na "Resenha Esportiva" (http://www.jornalopcao.com.br/colunas/resenha-esportiva/vila-nova-precisa-deixar-de-ser-mito-e-virar-time) do Jornal Opção: enquanto os torcedores do Vila Nova não deixarem o discurso romântico de lado, aquela coisa de "Te amo Vila, até na Série D!", o clube vai continuar assim.
    É preciso mais cabeça e menos coração nesse clube. Até para o bem do futebol goiano.

    Um grande abraço!

    *P.S.: a torcida do Goiás, tão criticada, está, ainda que dentro de suas limitações, se organizando contra os desmandos no clube. E os vilanovenses, o que pretendem fazer? Vão viver de paixão até quando?

    ResponderExcluir
  2. Como Raimundo Queiroz disse em seu programa: O vila tem que seguir o exemplo do Atletico e sair do amadorismo e profissionalizar. Se quer resultaodos de time grande, tem começar a agir e planejar como tal. Sem mais.

    ResponderExcluir
  3. A Verdade e dura, mas não adianta mais ficar só na paixão e no romantismo.e chegada a hora de um movimento revolucionario dentro do vila nova ,deixar de ser um time de bairro e se transformar em uma equipe realmente tradicional no futebol nacional . 1ºatitude e acabar com os ciumes dentro do clube ,e unirem forças para uma revolução já que amamamo o vila nova temos que nos unir e tolerar as nossas diferenças. S.V.N

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. seu goiano safado bebedor de pinga no valdir vc sabe de porra nenhuma, seu jogadorzinho de futebol de botão rsrsr warlei baiano

      Excluir
  4. Parabéns André. Você é um dos poucos lúcidos nesta imprensa goiana. Porque muitos criticam a torcida e elogiam os dirigentes. Se o torcedor não está contente com a diretoria, desde o começo, um pouco de razão ele tinha (nós tínhamos). Já se passaram seis anos e nada de título, nada de planejamento, o Vila está cada vez pior.

    ResponderExcluir
  5. Disso a torcida sempre soube e vem falando há muito tempo, infelizmente setores da imprensa não divulgavam para não perder anúncios.

    ResponderExcluir