Páginas

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Atlético/GO 1 x 1 Palmeiras: Análise do jogo.

Hélio e Felipão
Não gostei da atuação do Atlético contra o Palmeiras na noite deste domingo, no Serra Dourada. Pelas circustâncias, pelo fato de ter jogado quase todo o segundo tempo com dois jogadores menos, o empate por 1 a 1, tem, na teoria, para o Atlético, um sabor de vitória.

Digo "na teoria", por que na prática não foi.

No primeiro tempo o Dragão foi amplamente dominado pelo Palmeiras. 1 a 0 foi pouco.

No final da primeira etapa, por expulsão, o Atlético perdeu o zagueiro Anderson. Ele deu um ponta-pé no atacabnte Fernandão, na entrada da área, e, como já tinha cartão amarelo, acabou recebendo o vermelho. Uma irresponsabilidade do jogador.

A segunda expulsão, no início do segundo tempo, Vitor Junior sofreu uma falta, reclamou muito da arbitragem, de forma acintosa. Ele recebeu o cartão amarelo, continuou reclamando e acabou expulso. Outra atitude ridícula.

O mais curioso veio em seguida. Mesmo com dois jogadores a mais em campo, o Palmeiras parou de jogar, tocava a bola de lado. Do banco Luiz Felipe Scolari esbravejava com o time.

Apesar da desvantagem numérica, o Atlético-GO, que não tinha nada a haver com isso, conseguia equilibrar o confronto, empatou e quase virou o jogo.

O atacante Kléber reclamou do esquema de jogo do time. E Felipão declarou: “Não tinha nem o pau da barraca para chutar. Se você colocar para mim... Eu já perdi de 6 a 0, já perdi campeonato. Mas 11 contra 9, 1 a 0.... E ainda poderia perder o jogo. Acho que foi a maior vergonha da minha vida. Pode ser que eu sinta essa vergonha, não sei se os jogadores sentem”, disparou.

Em resumo, o Dragão não jogou bem, teve duas expulsões irresponsáveis e só empatou porque o os jogadores do Palmeiras deixaram.

Nenhum comentário:

Postar um comentário