sábado, 17 de setembro de 2011

Atlético vence e continua salvando o futebol goiano

Vítor Júnior fez o gol da vitória
Em tempos difíceis de Goiás e Vila Nova o Atlético é vem sendo o orgulho do futebol goiano.

Neste sábado, no Serra Dourada, no duelo dos atléticos, o goiano levou a melhor e venceu o mineiro por 1 a 0.

A vitória veio com um gol de Vitor Júnior no segundo tempo.

O azar do Galo foi a sorte do Dragão. Neto Berola e Réver, que saíram de campo machucados antes dos 30 minutos do primeiro tempo. As mudanças forçadas prejudicara o time de Cuca e, o Atlético/GO, que nada tinha a haver com isso, tirou proveito.

Aos 16 minutos do segundo tempo, Anselmo e Juninho construíram a jogada para Vitor Júnior sair na cara do gol, driblar o goleiro Renan Ribeiro e fazer o gol da vitória.

O Atlético-GO ainda teve a chance de aumentar. Joílson, que havia acabado de entrar em campo, acertou uma bola no travessão.

Na próxima rodada, o Atlético/GO vai até o Rio de Janeiro, onde encara o Vasco. O Galo terá um importante compromisso contra o Flamengo, em Ipatinga.

Com a vitória, que não acontecia a três rodadas, o Atlético/GO chegou à nona posição, com 33 pontos. O Atlético/MG continua em 16º lugar, mas pode voltar à zona de rebaixamento no complemente da rodada, caso o Bahia pontue ou o Atlético-PR vença o Figueirense, em Curitiba.

FICHA TÉCNICA
Atlético-GO 1x0 Atlético-MG

Estádio: Serra Dourada, Goiânia. Data: 17/9/2011. Horário: 18 horas
Árbitro: Paulo César Oliveira (SP)
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Thiago Gomes Brigido
Gol: Vitor Júnior 16'/2º (ATLÉTICO). Renda: R$ 82.340,00. Público: 6.186 pagantes

ATLÉTICO/GO: Márcio; Adriano, Leonardo, Anderson e Thiago Feltri (Ernandes); Agenor, Pituca, Bida (Joílson) e Vitor Júnior; Juninho e Anselmo (Paulo Henrique). Técnico: Hélio dos Anjos

ATLÉTICO/MG: Renan Ribeiro; Serginho, Leonardo Silva, Rérver (Werley) e Triguinho; Pierre, Fillipe Soutto, Bernard e Daniel Carvalho; Neto Berola (Richarlyson) e Guilherme. Técnico: Cuca.

Leonardo Goiano no Vila: Aprovo e explico

A diretoria do Vila Nova agiu rápido após a demissão de Artur Neto e anunciou Leonardo Goiano como novo técnico da equipe para a disputa da Série B deste ano. O treinador será ser apresentado neste domingo e estreia na terça, no jogo contra o ABC, em Natal/RN.

Leonardo Goiano tem 37 anos, é ex-jogador do Vila, começou a carreira no clube, defendendo a equipe principal de 1993 a 1996. Em 2011, como treinador, assumiu a Aparecidense na 9ª rodada do estadual, e fez cinco partidas, com 2 empates, 2 vitórias e 1 derrota. Logo depois, aceitou uma proposta da Anapolina, se classificou à semi-final, terminando o campeonato na 4ª colocação.

No seu último clube, o Araguaína, de Tocantins, Léo teve o seu pior resultado, acabou rebaixado para a Série D do Brasileiro. Embora tenha sido nessa mesma equipe o seu grande feito, em 2010, subiu o time da Série D para a Série C.

A contratação foi boa ou ruim?

Considero que na atual circunstância é a melhor possível. Qual  treinador, renomado, tarimbado, toparia assumir um time nessas condições?

Leonardo Goiano não é bobo. Entende de futebol. É estrategista e moderno. Só lhe falta oportunidade.

Léo não é daquelas raposas, que nessa situação, viria em troca de rios de dinheiro e um caminhão de jogadores, que poderiam resolver ou não o problema. Lembram do Benazzi?

O cara é da cidade, criado no clube, quer vencer, tem comando. Acredito que vai dar certo.

Léo chega com outra filosofia, afirma que o Vila Nova não cairá e que hoje é o treinador mais feliz do mundo, por comandar a equipe que o colocou no mundo da bola.

Boa sorte Leonardo.

Goiás cede empate no final

Macuglia decepcionado
Paraná Clube e Goiás empataram em 1 a 1, na tarde deste sábado, no Estádio Durival de Brito, em Curitiba.

O gol do Goiás, marcado por Douglas, saiu a um minuto e meio do primeiro tempo. O empate do time da casa aconteceu aos 39 minutos da segunda etapa, pelo atacante Giancarlo.

Pela situação do campeonato o placar foi ruim para os dois times.

O Paraná mandou em 90% do jogo. Se tivesse um ataque mais objetivo venceria a partida. O Goiás não tinha contra-ataque, o setor de armação não funcionava.

O time esmeraldino se defendeu praticamente o jogo inteiro. O empate era questão de tempo.

O resultado deixou a equipe do Paraná na 11ª colocação, com 32 pontos, dois a mais que o Esmeraldino que, com 30 pontos, está na 14ª posição da tabela da Série B do Campeonato Brasileiro.

Na próxima rodada, o Paraná vai jogar em casa, sexta-feira, diante do Náutico. O Goiás voltará a campo, também na sexta, quando enfrentará o Salgueiro, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia.

FICHA TÉCNICA
PARANÁ 1X1 GOIÁS

Local: Estádio Durival de Brito, em Curitiba (PR)
Data: 17/09/2011
Horário: 16h20
Árbitro: Sálvio Spinola Fagundes Filho (SP)
Assistentes: Márcio Luiz Augusto (SP) e José Roberto Larroyd (SC)
Gols: Douglas 1”/1T (Goiás); Giancarlo 39”/2T (Paraná)

PARANÁ: Luiz Carlos, Marquinho, Amarildo, Briner, Olima, Maicon Freitas (Lisa), Everton Garroni (Henrique), Serginho, Leandro Oliveira, Dinelson (Giancarlo) e Ernani. Técnico: Guilherme Macuglia

GOIÁS: Harlei, Marcão, Rafael Toloi, Ernando, Oziel, Douglas, Amaral, Carlos Alberto (Alan Bahia), Felipe Amorim, Iarley (Jhonathan) e Hugo (Max Pardalzinho). Técnico: Ademir Fonseca

Previsões da 24ª rodada e Cartola escalado

Essa rodada, do Brasileirão mais emocionante de todos os tempos, promete.

O Campeonato pode ter um novo líder neste sábado, quando três jogos abrem a 24ª rodada. Vice-líder, o Vasco precisa de uma simples vitória sobre o Grêmio para dormir na ponta, enquanto o São Paulo tem que bater o Ceará e torcer por um tropeço do time cruzmaltino. O Corinthians pode retomar a ponta no domingo, quando faz o clássico diante do Santos.

Previsões da 24ª rodada:

Sábado
18 horas
Vasco da Gama-RJ x Grêmio-RS - Empate
São Paulo-SP x Ceará-CE - São Paulo
Atlético-GO x Atlético-MG - Empate

Domingo
16 horas
Atlético-PR x Figueirense-SC - Empate
Bahia-BA x Fluminense-RJ - Fluminense
Avaí-SC x Palmeiras-SP - Palmeiras
Corinthians-SP x Santos-SP - Corinthians
Botafogo-RJ x Flamengo-RJ - Empate

18 horas
Internacional-RS x Coritiba-PR - Internacional
Cruzeiro-MG x América-MG - Cruzeiro

Cartola escalado:

UCG TV vai a campo com: Diego Cavalieri, Iván Piris, Rhodolfo, Réver e Juan; Bida, Willians e Ronaldinho Gaúcho; Neymar, Leandro Damião e Liedson. Técnico: Emerson Ávila.

Hailé quebra o silêncio e solta "pérolas"


Hailé Pinheiro saiu da toca, na manhã desta sexta-feira, ele apareceu para falar sobre a crise do Goiás.

O presidente do Goiás tentou conduzir a entrevista, fugiu das  perguntas sobre Raimundo Queiroz e, para intimidar, deu patadas em repórteres mais jovens.

Hailé tentou se defender das acusações de Kleber Guerra, que em sua coletiva anunciando a saída, criticou a maneira como o clube é administrado. Tentou rebater dizendo que Kléber jamais deixou de ser empresário e que o mesmo usou a doença do pai para justificar a saída do Goiás.

O comandante esmeraldino falhou em sua justificativa ao dizer que era centralizador mesmo.

Sobre a campanha do time, Hailé cometeu uma gafe histórica. Disse que a diferença entre Goiás e Atlético/GO é de apenas um ponto, ignorando a divisão e os adversários. Foi hilário e inacreditável.

A grande notícia foi sobre seu futuro no Goiás, Hailé Pinheiro prometeu deixar o clube no 15 de dezembro. O mandatário disse que não voltará ao poder, e vai proibir seus familiares de continuarem assumirem algum cargo no clube.

Passou da hora de Hailé deixar outras pessoas trabalharem pelo Goiás.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Vila Nova perde, técnico sai e ex-presidente está de volta

Artur pediu para sair
O Bragantino não tomou conhecimento da crise enfrentara pelo Vila Nova e venceu por 2 a 1 no estádio Serra Dourada. Lincom e Otacílio Neto abriram vantagem para o time paulista, que cola no G4, com 39 pontos, a um da zona de classificação para a Série A. Já os goianos, que diminuíram com Roni, de pênalti, seguem na região de descenso, com 24 pontos e ocupa a 17ª posição.

Após a partida o treinador Artur Neto, em um discurso rápido, pediu demissão e deixou o comando técnico do Vila Nova. Não tinha mais clima, apesar de ser um grande treinador.

Independente do resultado a saída já estava acertada. Foram oito jogos, onde o Vila conquistou apenas uma vitória, um empate e seis derrotas.

O nome mais cotado para ser o substituto de Artur no comando técnico é o de Roberto Fernandes. O treinador já passou pelo Vila em 2005, passou pelo Atlético no ano passado e recentemente estava no Paysandu, disputando a Série C do Brasileirão.

A grande notícia do Vila no final da partida foi a confirmação da volta do ex-presidente Wilson Balzaqui. O conselheiro deve ocupar o cargo de diretor de futebol.

Os dirigentes não confirmam, mas a New Ville, empresa que terceirizou o futebol do Vila Nova, está de saída.

O Vila Nova já abre a 25.ª rodada, terça-feira, em Natal, diante do ABC. O Bragantino só volta a campo no outro sábado, dia 24, em casa, diante da líder Portuguesa.

FICHA TÉCNICA
VILA NOVA 1X2 BRAGANTINO

Local: Serra Dourada, Goiânia
Data: 15/9/2011
Horário: 20h30
Árbitro: Francisco Carlos Nascimento (AL)
Assistentes: Francisco Casimiro de Souza (TO) e Gilvan Cavalcante dos Santos (TO)
Gols: Lincom 2'/1°T  e  Otacílio Neto 26'/1°T (Bragantino); Roni 41'/2°T (Vila Nova)
Renda: R$ 9.941,00
Público: 1.015 pagantes

VILA NOVA: Michel Alves, Victor Ferraz, Henrique, Ben-Hur e Luzinho (Marquinhos); Jairo, David, Vitor Rossini (Roni) e David; Leandro Cearense (Bergson) e Jô. Técnico: Artur Neto.

BRAGANTINO: Gilvan, Astorga, Luis Carlos e Luís Henrique (Luís Felipe); Felipe, Éder, Mineiro, Romarinho e Otacílio Neto; Lincom e Léo Jaime. Técnico: Marcelo Veiga.

Opinião sobre a saída de Kléber Guerra

Kleber cansou do amadorismo
Kléber Guerra é um cara do bem. Profissinal, embora não tão experiente para o cargo, encarou com muita seriedade a função de diretor de futebol no Goiás.

O ex-goleiro esmeraldino, além da identificação com o clube, tinha o conhecimento necessário para ajudar o Goiás a ser vencedor.

Era o único entender de futebol no meio dos Pinheiros.

Não deu certo. Kléber não suportou a administração arcaica, amadora e centralizadora de Hailé Pinheiro. Ele notou a tempo que o colocaram como escudo, estava sendo fritado. Se continuasse, a culpa cairia sobre ele.

Hailé tem uma visão distorcida do que é o futebol moderno.

Não pode culpar as dificuldades financeiras. Nada justifica o Goiás ter um trabalho inferior ao Barueri, Boa, Bragantino, Americana, Paraná e ABC.

Isso é imcompetência.

Kleber Guerra chegou a dizer: "O clube ainda não está acostumado a esse formato de futebol profissional."

Ele fez o que pôde. Não fez mais porque Hailé não deixou.

Não gosto de me gabar pelo que disse no passado. Mas quem me acompanha sabe, que essa administração Pinheiros, desde 2007, nunca me enganou.

Endividaram o clube, torraram o dinheiro da venda Welliton em menos de um ano, aumentaram o déficit mensal e multiplicaram as dívidas do clube.

Desde 2007 não fizeram nada e gastaram muito mais que a gestão Raimundo Queiroz.

O Goiás com Raimundo, ganhou dois campeonatos goianos, disputou as primeiras posições do Brasileiro, três Sul-Americanas e uma Libertadores. Reformou sede, estádio, ginásio, piscina e CT.

Ediminho Pinheiro declarou, no início da gestão Pedro Goulart, que as dívidas da gestão de Raimundo poderiam chegar a 15 milhões, venderam o Weliton por 20, entraram na Timemania e hoje o time deve mais 60. Deu para entender essa matemática?

Não tenho certeza se as coisas mudarão em 2012. Não sei se os Pinheiros deixarão o Goiás. Só os sócios e conselheiros podem decidir o futuro desse time.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Brasil 0 x 0 Argentina - Quase um Supernada

O Superclássico não foi Super em nada.

No empate entre Brasil e Argentina, no 0 a 0, pouco se aproveita.

Neymar e Damião se salvaram. Ronaldinho foi apagadíssimo.

Os laterais não apoiaram, zagueiros perdidos, os volantes não marcaram e os meias não criaram.

O técnico foi medroso.

A Argentina, limitadíssima, com um pouco mais de sorte e qualidade, teria vencido fácil.

No jogo da volta, em Belém, no dia 28, Mano terá mais uma chance de vencer uma grande Seleção (pelo menos no nome).

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Goiás 1 x 2 ABC - Além do fundo do poço

Foto do Goiás na Libertadores 2006, o último ano vencedor
Um primeiro tempo horroroso, em pleno Serra Dourada, custou caro para o Goiás. O time esmeraldino sofreu dois gols em vinte minutos no confronto com o ABC.

Reagiu com um gol no segundo tempo. Fez uma pressão impressionante, mas parou no goleiro Camilo, o grande destaque da partida.

Enquanto o ABC chega aos 32 pontos e sobe para a 10ª posição, o Goiás continua nos 29, ocupando a 12ª colocação.

O Goiás agora está a 11 pontos do G4 e a 5 da faixa do rebaixamento. O time tem a 3ª pior campanha do 2º turno.

A torcida protestou muito, principalmente contra o Pinheiros (Hailé e Ediminho), pena que eles não frequentam estádios, principalmente nas horas ruins.

Enquanto uns protestavam, outros choravam, cenas chocantes. Consequências, de uma tragédia anunciada, diante da forma arcaica, que o Goiás foi administrado nos últimos anos (de 2007 pra cá).

Em coro a galera gritava o nome de Raimundo Queiroz.

O torcedor é sábio.

Ficha técnica
GOIÁS 1 X 2 ABC

Local: Serra Dourada, Goiânia. Data: 13/09/11. Horário: 20h30
Árbitro: Edmundo Alves do Nascimento (SC)
Assistentes: Marco Antônio Martins (SC) e Josué Gilberto Lamim (SC)
Gols: Cascata 18'/1ºT e Lins 21'/1ºT (ABC); Hugo 23'/2ºT (GOIÁS)
Renda: R$ 22.565,00. Público: 3.905 pagantes

GOIÁS: Harlei (Paulo Henrique); Douglas, Ernando, Valmir Lucas e Marcão; Marcinho Guerreiro, Carlos Alberto, Alan Bahia e Diniz (Max Pardalzinho); Felipe Amorim e Guto (Hugo). Técnico: Ademir Fonseca.

ABC: Camilo; Pio, Rafael, Irineu e Renatinho Potiguar; Esdras (Rômulo), Ricardo Oliveira (Chimba), Makelelê e Cascata; Leandrão e Lins. Técnico: Leandro Campos

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Algumas verdades sobre o Vila Nova.

Criação: Igor Teles
Depois do meia Luiz Fernando, que se recusou a viajar com o elenco para Criciúma, o Vila teve mais uma baixa.

O gerente de futebol, Fabrinni Canedo, também pediu para sair.

Nos dois casos, os motivos não foram divulgados.

Sobre Luiz Fernando, dá para deduzir que tem outro time na jogada. Pode ser até o Atlético/GO. Não duvido de mais nada.

Fabrinni era funcionário da New Ville, que terceirizou o futebol do Vila Nova.

Omar Vasconcelos, conselheiro do Goiás e um dos sócios da empresa, também está afastado.

Só está sobrando o Sizenando no comando da empresa.

Algumas verdades

O Vila está parecendo um barco à deriva. As pessoas envolvidas no projeto estão pulando fora.

Ninguém sabe que manda lá.

Agora é torcer para que o time não caia de divisão. Que em 2012 tenha rumos diferentes.

Nem Barros, Sizenando e Geso. Com esses o Vila só regride.

Alguém perguntaria: Quem pegaria?

Não sei. Só sei que o Vila existia antes deles, ganhava até títulos de vez em quando, disputava umas Copinhas do Brasil e já era da Série B.

Outro alguém lembraria: Ah... mas o Vila devia muito?

Continua devendo, ó "sábio guru".

Agora a dívida é para uns dois ou três. Credores/administradores que gastaram mal no decorrer dos anos. Rios de dinheiro foram investidos em planejamentos equivocados que fizeram com que o clube contratasse em sete anos, dezenas de técnicos e cerca de 50 jogadores por temporada.

Não analiso as pessoas e sim o resultado das suas administrações. Todos são gente boa, humildes e sérios, mas não posso confundir as coisas.

Se Sizenando e Barros administrassem seus negócios, tal qual o futebol, o que seriam?

Por eles, o Conselho Deliberativo do Vila mudou estatutos, deu poderes a uma tal de CAD, fez parcerias como o G-20 e a New Ville.

Torcedores e imprensa foram feitos de palhaços com umas historinhas: "Com a CAD construíremos uma Arena para o Vila Nova" dizia Leonardo Rizzo. "O G-20 é a única salvação para o Vila Nova" ressaltava Carlos Alberto Barros. "O nosso planejamento com essa parceria (New Ville), é chegar à Série A.

Um engodo atrás do outro.

A mais nova é um tal de "Tijolinho". Uma campanha de arrecadação, junto ao torcedor, para construir um Super CT.

Haja paciência.

Jogo

Na zona do rebaixamento e precisando vencer para ascender na tabela, o Vila Nova enfrenta o Criciúma, nesta terça-feira, fora de casa, no Estádio Heriberto Hülse, a partir das 20h30.

O jogo será complicadíssimo.

Em casa, o Criciúma só perdeu uma partida, para o Paraná, por 2 a 1, na 12ª rodada.

Artur Neto deverá mandar a campo, a seguinte formação: Michel Alves, Luizinho, Augusto, Bem-Hur e Marquinhos; Jairo, Vítor Rossini , David e Davi Ceará ; Roni e Leandro Cearense.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Anápolis 1 x 8 Itumbiara: O jogo suspeito

O Itumbiara é o segundo time à conquistar o acesso para a elite do futebol goiano na próxima temporada. Jogando fora de casa, contra o Anápolis, goleou por 8 a 1 e terminou o campeonato na segunda colocação.

O Rio Verde já estava classificado, desde a rodada anterior, onde já havia conquistado o acesso, como também o titulo da competição.

A vitória do Itumbiara foi estranha.

A atuação do Anápolis, que cumpria tabela, foi vergonhosa.

Na minha opinião, esse jogo, teve cara, jeito e andado de jogo armado.

Todos que assistiram, tiveram a impressão, desde os primeiros minutos, que o Anápolis "deixaria" o Itumbiara fazer quantos gols fossem necessários.

Jogadores, técnico e dirigentes do Anápolis pisotearam as tradições desse clube de quase setenta anos.

Se tivesse chances? Tomaria de oito?

No outro jogo, o Mineiros venceu o Rio Verde por 5 a 0.

Esse resultado também seria suspeito? Acredito que não. O Rio Verde, que já era o campeão, jogava fora de casa, e ainda teve duas expulsões, uma em cada tempo. O Mineiros sempre foi forte em casa.

O Mineiros, que não tem tanto dinheiro como o Itumbiara, chegou aos 10 pontos e terminou na terceira posição, perdendo a vaga para o Itumbiara no saldo de gols. O Rio Verde ficou na primeira posição, com doze pontos, em dezoito disputados.

Para encerrar o comentário, relaciono o nome das figuras envolvidas nessa palhaçada:

Jogadores: Juninho; Johnathan, Marcelão, Alex Morais e Danilo (Marinho); Renato Xavier, Feitosa, Eberson (Hugo) e Thiago Silva; Chimba e Guilherme
Técnico: Zé Humberto
Dirigente: Jair Rabello.

Obs.: Será como ganhar um troféu, se minhas suspeitas forem objeto de processo, por algum dos elementos envolvidos.