Páginas

sábado, 10 de dezembro de 2011

Sócrates jogou no Atlético/GO

Clique para ampliar. Fonte: Buteco do Dragão
 
Clique para ampliar. Fonte: Buteco do Dragão




Goiás contrata volante do Inter

O Goiás contratou o volante Juliano, de 21 anos, do Inter. Na noite desta sexta-feira, o jogador confirmou a negociação pelo Twitter. Ficará na equipe goiana até o final de 2012.

- Goiânia ai vou eu. Assinei contrato de empréstimo por um ano com a equipe do Goiás. Estou muito feliz e que 2012 seja um ano inesquecível – publicou.

Juliano não vinha sendo aproveitado no clube gaúcho. Chegou a ganhar destaque no início da temporada, quando o Inter iniciou o Gauchão com time basicamente formado por garotos e foi especulado pelo Bréscia, da Itália.

Com a disseminação da equipe B no final do primeiro turno no estadual, caiu no limbo. Ainda por cima, sofreu com problemas musculares na temporada e não conseguiu ser alçado para o grupo profissional.

Fonte: esmeraldino.com

Nome: Juliano Real Pacheco
Data de nascimento: 06/04/1990
Partidas pelo elenco profissional: 6
Local de nascimento: Pelotas RS
Altura: 1m83cm
Peso: 77kg

Opinião:

Pode dar certo. Mas não gosto muito dessas negociações por empréstimo de times maiores. O jogador, em geral, fica pensando em voltar para o time de origem, priorizam mais o interesse individual que o coletivo. O certo é trazer jogadores que tenham contratos maiores, para que adquiram identidade com o clube e a cidade.

Jogador precisa saber que tem que ralar, para estar em situação melhor na temporada seguinte.

Lances de Juliano:

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Deixem o povo trabalhar

A nova diretoria do Vila Nova já começou a trabalhar. Pelo menos está tentando.

Fazer algo diferente no Tigrão é muito difícil. Não há sossego. É muita fofoca.

O Vila, diferente dos co-irmãos, é tão aberto que beira o ridículo. Uma troca de roupeiros ou de uma funcionária do departamento financeiro gera polêmica.

As críticas de conselheiros e de setores da imprensa em assuntos tão irrelevantes me faz até pensar em perseguição. Chegar e contratar funcionários de confiança é normal em qualquer troca de administração.

Certos ou errados, os novos dirigentes tem que fazer alguma coisa.

Vou deixar para avaliar depois.  Barros, Sizenando, New Ville, G-20 e outras pragas ficaram sete anos fazendo lambanças no Vila e ninguém encheu o saco como está enchendo agora.

Deixem o povo trabalhar.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Um poema para alguém

E AGORA, “SENHOR”?
Escrito pela porta Lêda Selma, publicada no Jornal Diário da Manhã em 4/12/2011.

E agora, VERDÃO?
O campeonato acabou,
a luz apagou,
a torcida sumiu,
a esperança esfriou,
e agora, VERDÃO?
E agora, Você?
Você que tem nome,
que zomba dos outros,
você que faz gestos,
que vinga, persegue,
e agora, “Senhor”?!

Está sem discurso,
está sem caminho,
já não pode gritar,
tripudiar já não pode,
o engodo pifou,
a Série A não veio,
o sonho não veio,
o riso não veio,
não veio a coragem,
tudo secou,
a dignidade mofou,
tempo esgotado,
entende, “Senhor”?

E agora, “Senhor”?
Sua rude palavra,
seus instantes de fúria,
sua tirania e arrogância,
sua megalomania,
sua sanha por louros,
seu trono de vidro,
sua incoerência,
seu ódio, sua gana,
pois é, convenhamos,
a verdade matou.
“Senhor”, e agora?

Com a chave na mão
quis trancar a porta,
mas o esmeraldino
fez nascer o grito,
no secar do sonho
do alviverde aflito,
que sofreu demais
lá na Segundona.
E agora, “Senhor”?!

Se você parasse,
se você deixasse
o VERDÃO em paz,
se você cansasse
dessa obsessão
que sufoca e atrasa
o pobre Goiás,
mas você não cansa,
quer seguir seu tino,
você é duro, “Senhor”!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem o discurso tolo
para se escorar,
sem a mentira nua
para se safar,
só vassalos tontos
ficam ao seu lado
com o AMÉM na língua
para o louvar.
E o VERDÃO da Serra,
relegado às traças,
por sua obra e graça,
que vá se danar!
E agora, “Senhor”?

Que fuja a galope,
“Senhor” dos punhais,
este tempo triste,
marcado por nódoas,
e não se constranja
de o fazer também,
para que o VERDÃO
possa se salvar.
É agora, “Senhor”!

Cada um, Drummond, tem o seu “José”.

O Campeão da regularidade

O domingo, 4 de dezembro de 2011, foi marcante.

A torcida do Corinthians viveu um dia de tristeza, apreensão e alegria. O torcedor fiel acordou com a notícia do falecimento de Sócrates, o mais talentoso de todos os jogadores que o Timão já teve, viram um jogo tenso contra o Palmeiras e terminaram o dia comemorando o Penta.

O título do Corinthians em 2011 se tornou inesquecível. Foi conquistado no dia em que Sócrates morreu

A campanha do Timão é incontestável, foram 21 vitórias, 27 rodadas na liderança e uma regularidade impressionante.

Ao longo do campeonato o Corinthians derrotou 17 dos 19 adversários, só faltou o Timão vencer dois de seus concorrentes históricos: Palmeiras e Santos.

O time, embora seja questionado vez ou outra, é eficiente em todas as posições. O goleiro Júlio César é bom, os laterais são eficientes, o Leandro Castán, Paulo André e o Chicão são baitas zagueiros, Ralf e Paulinho estão entre os melhores volantes do futebol brasileiro, o meia Danilo é um vencedor nato, tem 15 títulos em 11 anos de carreira, Emerson vem de três conquistas de brasileiros, Liédson é decisivo, sem contar o Alex, o Wiliam e outros.

Todos esses talentos aliados ao trabalho eficiente do técnico Tite. O treinador soube encaixar essas peças e fazer um time campeão.

Foi merecido.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Ex-jogador Sócrates morre em SP

O futebol brasileiro está de luto. O médico e ex-jogador Sócrates de Oliveira morreu às 4h30 da madrugada deste domingo no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele tinha 57 anos e era pai de seis filhos. Segundo o hospital, a causa da morte foi um um choque séptico. Sócrates estava internado deste quinta-feira à noite, após passar mal durante o jantar, quando comeu estrogonofe.

Ele deu entrada no hospital com uma infecção intestinal, causada por uma bactéria. Esta tinha sido a terceira internação de Sócrates nos últimos quatro meses. As duas internações anteriores foram para tratar de uma hemorragia digestiva, causada pelo consumo prolongado de álcool.

A primeira vez que ele foi hospitalizado ocorreu no dia 19 de agosto, quando sofreu uma hemorragia digestiva alta. Na ocasião, ele recebeu alta após nove dias. A última internação havia sido em setembro. Foram 17 dias no hospital. Com o fígado comprometido, a expectativa na época era de que ele precisaria se reabilitar em casa, seguindo uma dieta rigorosa, para entrar na fila por um transplante. 

O quadro clínico dele chegou a apresentar leve melhora no sábado, graças a um antibiótico mais potente, que fez regredir o quadro de infecção intestinal. Mas os médicos já vinham alertando que o caso dele era grave – Sócrates estava sedado na UTI, respirando por aparelhos e passando por tratamento dialítico, que consiste na remoção do excesso de líquidos e substâncias prejudiciais acumuladas no organismo do paciente renal crônico. A expectativa era que ele permanecesse em observação por pelo menos 72 horas.

Sócrates começou a carreira de jogador no Botafogo, de Ribeirão Preto, foi contratado pelo Corinthians no fim da década de 70 e vendido para Fiorentina, da Itália, nos anos 80. Também jogou no Flamengo e no Santos.

Sócrates, na minha opinião, foi o maior jogador da história do Corinthians. Era um idealista, uma cabeça à frente do seu tempo.

No dia em que pode ganhar o seu 5º título, o Corinthians tem o dia mais triste da sua história.