Páginas

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

As lambanças no Superclássico


Desrespeitaram um dos maiores clássicos do futebol mundial.

Desde o início os fatos já direcionavam que o negócio não iria terminar bem.

Só o gramado ruim já demonstrava a falta de zelo dos argentinos ao escolherem esse estádio.

Muitos espaços na arquibancada evidenciaram o erro dos dirigentes ao escolher a distante cidade de Resistência.

Na capital Buenos Aires, com certeza lotaria.

Mano Menezes escalou a seleção com um volante (Arouca) no lugar de um atacante (Leandro Damião). Uma escalação incoerente e medrosa.

O hino brasileiro cantado por um argentino foi pra acabar. Apesar do cantor ter se esforçado, dava para notar o constrangimento de todos ao ouvir aquilo.

Pensando bem, pode ter sido ter acabado a energia.

Poderia ter evitado alguma outra lambança maior.

A TV Globo antecipou "Gabriela", que começou com um tango.

O Brasil vai acabar ficando com a Taça do Superclássico. Mais um título da era Mano Menezes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário