Páginas

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Análise das seis primeiras rodadas do Goianão


Depois de seis rodadas é possível ver que algumas situações são definitivas no Campeonato Goiano, outras não:

Goiás, 1º colocado, 16 pontos.

O time ainda não jogou o que sabe. Teve problemas nas laterais, na direita a ausência de Vítor, na esquerda Willian Matheus não comprometeu, estava se adaptando, mas a vaga será de Eron. No meio, Enderson ainda busca a melhor opção pra o lugar de Ricardo Goulart, Caio, David e Sasha ainda não se firmaram. Júnior Viçosa se destaca no ataque, mas agora com Walter e Neto Baiano ele terá que jogar muito mais para garantir posição no time. Mesmo ainda não estando 100%, o Goiás é disparado o melhor time do Goianão.

Goianésia, 2º colocado, 13 pontos.

A surpresa do interior. Vice-líder com méritos. Os veteranos Romerito e Nonato devem ser respeitados, Jeovânio pratica um futebol de alto nível no meio campo e o atacante Wendell Lira consegue ter uma boa regularidade, coisa que faltou quando era do Goiás. O time é muito bem treinado por Henry Lauar. O Goianésia, com o mando de campo mais forte do campeonato, hoje é, teoricamente, o time que tem mais chances que quebrar a invencibilidade do Goiás. Se não for para a semifinal será uma surpresa.

Vila Nova, 3º colocado, 10 pontos.

Para um time que foi montado em 30 dias a participação do Vila Nova até agora é muito boa. Os jogadores mostraram capacidade e o treinador conseguiu passar um padrão de jogo. O Vila Nova apresentou dois problemas, as contusões e o elenco reduzido. Apesar de terem corrido bastante nos seis jogos, a falta de uma pré-temporada ideal, provocou a maior parte das lesões do time. Na sequência do campeonato, é importante que os dirigentes mantenham a paciência, o planejamento deve continuar. A diretoria também deve dar boas condições de trabalho e uma tranquilidade financeira aos seus jogadores e funcionários. Não adianta pagar os jogadores e deixar funcionários para depois, o Vila é um só. Acredito que o time se classifica.

Aparecidense, 4º colocado, 9 pontos.

É uma surpresa no G4. O técnico Karmino Colombini, tira "água de pedra". O goleiro Pedro Henrique é destaque em quase todos os jogos. Vai lutar para não ser rebaixado.

Itumbiara, 5º colocado, 8 pontos.

Não tem o dinheiro que tinha na época do prefeito Zé Gomes. Sem megalomania e com os pés no chão o tricolor da fronteira corre por fora. Vai brigar por classificação.

Rio Verde, 6º colocado, 7 pontos.

Um dinheirão sendo jogado fora. Futebol no interior não pode ser feito assim. As contratações foram muito boas. Agenor, Heleno, Val Baiano e etc. Mas e o entrosamento? e a forma física? Isso o dinheiro não compra. Os resultados não aparecem, bate o desespero, os jogadores que tem mercado começam a receber propostas e vira um fiasco. Agora, em time de verão, se conseguir engatar uma sequência vai longe. Fica todo mundo feliz, principalmente se o "bicho" for gordo. Jairo Araújo, o novo técnico, terá uma missão difícil pela frente. Pelo elenco que tem e pela limitação dos outros, o Rio Verde é candidato a conseguir uma das vagas à semifinal.

Anápolis, 7º colocado, 6 pontos.

Um time que não é bom e nem é ruim. Contrata demais, dispensa demais. O Galo da Comarca está meio perdido, não ganhou em casa e não é confiável. Tem jogadores que podem jogar mais, como meia Anaílson e o atacante Maranhão. O atacante Grampola e o meia/lateral Jorge Henrique são os destaques do time. Hoje o Anápolis não tem cara de time que vai cair e nem que vai se classificar.

Grêmio Anápolis, 8º colocado, 4 pontos.

Time de empresários portugueses. Serve para gravar os jogos e tentar negociar na Europa. É comandado pelo competente treinador Edson Júnior, filho do também técnico Edson Gaúcho. O técnico tira o máximo que pode do time. Mas isso não será suficiente para evitar um rebaixamento iminente.

Atlético, 9º colocado, 4 pontos.

Um início de campeonato atípico. O Dragão é o único que ainda não venceu. Pela qualidade dos seus jogadores essa situação não se justifica. Chegou a hora de que jogadores no Atlético parem de jogar só com o nome. Falta jogar com a alegria que o Dragão tinha. Os dirigentes também precisam trazer o torcedor de volta. Mesmo com a pontuação ruim, acredito que o Atlético briga para se classificar.

Crac, 10º colocado, 3 pontos.

Montou o time em Janeiro. Só ganhou do Grêmio Anápolis na primeira rodada, perdeu as outras cinco partidas. Tem bons jogadores, trocou o técnico Wanderley Paiva por Arthurzinho. Deve reagir no campeonato, mas não acredito que será o suficiente para classificar.

Números do Goianão:

+ Jogos realizados: 30.

+ Gols marcados: 67.

+ Média de gols: 2,23 por partida.

+ Principais artilheiros: 1º Júnior Viçosa (Goiás) e Nonato (Goianésia) 5 gols. 2º Elcimar (Vila Nova), Thiago Silvy (Rio Verde) e Jorge Henrique (Anápolis) 3 gols. 3º Ramon, Amaral e Eduardo Sasha (Goiás), Evandro e Rafael Grampola (Anápolis), Henrique Dias (Vila Nova), Washington e Raphael Luz (Aparecidense), William Barbio (Atlético) e Léo Maringá (Itumbiara) 2 gols.

+ Gols contra: 0.

+ Jogador com o maior número de Rodadas na artilharia principal: Júnior Viçosa (Goiás) 5 Rodadas.

+ Time que ainda não perdeu: Goiás.

+ Equipes que mais perderam: Crac 5; Grêmio Anápolis 4; Atlético, Anápolis, Itumbiara e Vila Nova 2.

+ Times que mais venceram: Goiás 5; Goianésia 4; Vila Nova 3.

+ Equipe que ainda não venceu: Atlético.

+ Time que ainda não empatou: Crac.

+ Equipes que mais empataram: Rio Verde e Atlético 4; Aparecidense e Anápolis 3.

+ Times que mais marcaram gols: Goiás 12; Vila Nova, Goianésia e Anápolis 9.

+ Equipes que menos marcaram gols: Crac, Itumbiara e Atlético 3.

+ Times que menos sofreram gols: Goiás 3; Itumbiara 4; Goianésia e Aparecidense 5.

+ Equipes que mais sofreram gols: Crac 10; Atlético, Grêmio Anápolis, Rio Verde, Vila Nova e Anápolis 8.

+ Total de resultados diferentes que aconteceram: 8.

+ Resultados que mais aconteceram: 1x0 – 7 vezes; 1x1 – 5 vezes; 2x0 e 2x1 – 4 vezes.

+ Total de expulsões: 13.

+ Equipes que já tiveram jogador expulso: 8 = Anápolis (Bruno Lopes, 2 vezes), Atlético (Jorginho), Itumbiara (Leão e João Vitor), Vila Nova (Magnum, Thiago Viana e Hyantony), Crac (Marquinhos e Tiago Soler), Aparecidense (Márcio Santos), Grêmio Anápolis (Welthon) e Rio Verde (Douglas Ozias).


+ Total de advertências com o cartão amarelo: 136.


+ Times com o menor número de advertências com o cartão amarelo: Goiás 6; Itumbiara 11; Goianésia, Aparecidense e Vila Nova 12.


+ Equipes com o maior número de advertências com o cartão amarelo: Atlético 21; Grêmio Anápolis 19; Crac 16.


+ Times que ocuparam a liderança da 1ª Fase: 2 = Goiás (5 Rodadas); Goianésia (1 Rodada).


+ Equipes que figuraram na faixa de classificação à Fase Semifinal: 5 = Goiás, Goianésia e Aparecidense (6 Rodadas); Vila Nova (4 Rodadas); Rio Verde (2 Rodadas).

+ Times que figuraram na faixa do rebaixamento: 4 = Atlético (6 Rodadas); Itumbiara (3 Rodadas); Grêmio Anápolis (2 Rodadas); Crac (1 Rodada).

+ Equipes que já ocuparam a lanterna da 1ª Fase: 4 = Atlético e Grêmio Anápolis (2 Rodadas); Itumbiara e Crac (1 Rodada).

+ Times que venceram fora de casa: 6 = Goiás 2; Aparecidense, Anápolis, Goianésia, Itumbiara e Vila Nova 1.

+ Equipes que perderam em casa: 5 = Anápolis e Crac 2; Atlético, Grêmio Anápolis e Itumbiara 1.

+ Goleadas aplicadas: 2 (Atlético 0x3 Anápolis - 2ª Rodada do 1º Turno e Goiás 3x0 Vila Nova – 5ª Rodada do 1º Turno).

+ Pênaltis assinalados: 12 (10 convertidos; 2 desperdiçados).

+ Times que tiveram pênalti a favor: 6 = Vila Nova e Anápolis 3; Itumbiara e Aparecidense 2; Goianésia e Grêmio Anápolis 1.

+ Equipes que cometeram pênalti: 8 = Anápolis 3; Crac e Goianésia 2; Atlético, Aparecidense, Grêmio Anápolis, Rio Verde e Vila Nova 1.

+ Jogadores que marcaram gol de pênalti: Elcimar (Vila Nova), Léo Maringá (Itumbiara) e Raphael Luz (Aparecidense) 2; Nonato (Goianésia), Jorge Henrique e Léo Dias (Anápolis) e Hyantony (Vila Nova) 1.

+ Goleiros que defenderam pênalti: Pedro Henrique (Aparecidense) e Flávio Mendes (Anápolis) 1.

+ Total de árbitros que apitaram: 11.

+ Árbitros que mais apitaram: André Luiz Castro, Wílton Sampaio, Eduardo Tomaz e Elmo Resende 4 jogos.

+ Árbitros que mais advertiram com o cartão amarelo: Wílton Sampaio e Eduardo Tomaz 20 cartões; André Luiz Castro 18 cartões.

+ Árbitros que mais expulsaram: Wílton Sampaio, Fabrício Nery e Eduardo Tomaz 3 expulsões.

+ Árbitros que mais assinalaram pênalti: Elmo Resende 3 pênaltis assinalados; Osimar Moreira e Eduardo Tomaz 2 pênaltis assinalados.

+ Total de assistentes que trabalharam: 21.

+ Assistentes que mais trabalharam: Evandro Gomes Ferreira, Cristhian Passos, João Patrício e Fabrício Vilarinho 5 jogos.

+ Total de quartos árbitros que trabalharam: 14.

+ Quartos árbitros que mais trabalharam: Valdir Gonçalves, Lúcio Freitas, Breno Souza, Wesley Miranda e Roberto Asmar 3 jogos.

+ Goleiros menos vazados: Harlei (Goiás) = média de 0,50 por partida, 3 gols sofridos em 6 partidas realizadas e Márcio (Atlético) = média de 0,50 por partida, 2 gols sofridos em 4 partidas realizadas.

+ Goleiros mais vazados: Walber (Grêmio Anápolis), Rafael (Rio Verde) e Flávio Mendes (Anápolis) = média de 1,33 por partida, 8 gols sofridos em 6 jogos realizados.

+ Times que trocaram de técnico: 3 = Atlético (após a 5ª Rodada do 1º Turno, saiu Jairo Lima, 5 jogos, aproveitamento de 20,00%, entrou Chico Santos (interino), na 6ª Rodada do 1º Turno, 1 jogo, aproveitamento de 33,33%, entrou Waldemar Lemos); Rio Verde (após a 6ª Rodada do 1º Turno, saiu Mauro Fernandes, 6 jogos, aproveitamento de 38,88%, entrou Jairo Lima) e Crac (após a 6ª Rodada do 1º Turno, saiu Wanderlei Paiva, 6 jogos, aproveitamento de 16,66%, entrou Arturzinho).

 + Total de jogadores que já participaram do Campeonato: 228.
 
+ Times que mais utilizaram jogadores: Crac 26; Anápolis 25; Atlético e Grêmio Anápolis 24.
 
+ Equipes que menos utilizaram jogadores: Aparecidense e Rio Verde 20; Goianésia, Itumbiara e Vila Nova 22.
 
+ Total de público pagante da 6ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase: 7.254.

+ Média de público pagante da 6ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase: 1.450.

+ Total de público pagante do Campeonato: 102.958.

+ Média de público pagante do Campeonato: 3.431 (- 21,59% em relação a 2012).

+ Total arrecadado bruto da 6ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase: R$ 94.525,00.  

+ Média de renda da 6ª Rodada do 1º Turno da 1ª Fase: R$ 18.905,00.
 
+ Total de renda bruta do Campeonato: R$ 1.476.607,50.
 
+ Média de renda do Campeonato: R$ 49.220,25 (- 27,18% em relação a 2012).
 
+ Maior público pagante: 15.392 no jogo Goiás 3x0 Vila Nova, no sábado, dia 2 de fevereiro no Estádio Serra Dourada em Goiânia.
 
+ Menor público pagante: 35 no jogo Grêmio Anápolis 2x1 Rio Verde, na quarta-feira, dia 6 de fevereiro no Estádio Jonas Duarte em Anápolis.
 
+ Maior renda: R$ 185.590,00 no jogo Goiás 3x0 Vila Nova, no sábado, dia 2 de fevereiro no Estádio Serra Dourada em Goiânia.
 
+ Menor renda: R$ 590,00 no jogo Grêmio Anápolis 2x1 Rio Verde, na quarta-feira, dia 6 de fevereiro no Estádio Jonas Duarte em Anápolis.

Um comentário: