Páginas

sábado, 6 de abril de 2013

Técnico e repórter discutem em coletiva


A coletiva do técnico Enderson Moreira acabou na primeira pergunta. Acabou em dois minutos e 33 segundos.

Aliás, foi metade de uma pergunta e uma discussão entre o treinador do Goiás e o repórter Fernando Lima da Rádio Difusora e TV Goiânia.

Enderson não gostou da forma que a pergunta estava sendo conduzida e começou a discutir com o radialista.

O treinador acabou abandonando a sala de imprensa, dizendo que só voltaria caso o repórter deixasse o local. Poucos minutos depois, a assessoria de imprensa do Goiás comunicou que ninguém do clube daria entrevistas.

Ouça o que aconteceu:



Mais tarde o treinador publicou uma nota para a imprensa:

Hoje (sábado), logo no início da minha entrevista coletiva após o jogo contra o Atlético, um repórter agiu de forma extremamente desrespeitosa ao afirmar que o time do Goiás havia sido ridículo no primeiro tempo. Uma falta de respeito não apenas com o meu trabalho, mas com o de toda a comissão técnica, da diretoria, dos jogadores e também com a torcida de um time que completou 70 anos hoje. Em 18 meses como técnico da equipe, nunca me faltou consideração aos profissionais da imprensa, que diariamente cobrem o clube e aos quais sempre atendi com a maior atenção possível. Por esse motivo, não aceitei a postura do jornalista e encerrei a minha participação na coletiva por entender que não havia mais clima para continuar.

Peço desculpa aos demais profissionais que tiveram o trabalho prejudicado, assim como tive o meu. Além disso, aproveito para deixar claro que, apesar desse fato lamentável, a rotina da imprensa não será alterada. As entrevistas continuarão ocorrendo normalmente durante a semana no clube. Contudo, atitudes como essa jamais serão aceitas.

Enderson Moreira
Técnico do Goiás E. C.

Opinião:

Essas situações acontecem no mundo do futebol. Eu mesmo, na minha época de repórter, já passei por situações como essas. Já tive "embates" com Hélio dos Anjos, Vanderlei Luxemburgo, Arthurzinho e etc.. Teve momentos que reconheço que peguei pesado. Em outros pegaram pesado comigo. O bom é que quase sempre é superado. Nessas situações nunca vi o Fernando Lima discutir com ninguém em mais de 15 anos que o conheço.

A imprensa esportiva deve ser a voz do torcedor. Perguntar o que o torcedor gostaria de saber. É isso que o torcedor espera ao ouvir uma entrevista.

A discussão poderia ser evitada e a situação pode ser facilmente contornada.

Fernando e Enderson são pessoas do bem e esse fato pode ser superado.

A pergunta em si foi normal, Enderson já respondeu perguntas mais duras. O que pegou foi o debate sobre a pergunta. Bastava a pergunta e a resposta.

Podemos ver por alguns pontos ou o Goiás foi mal, o Atlético foi bem ou as duas coisas. O bom debate depende da visão de cada um e do estado de espírito na ocasião. E entre o que cada um pensa pode estar a verdade.

Sem mais.


Um comentário: