Páginas

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Atlético 0 x 0 Goiás. Destaque para os lances polêmicos

Atlético e Goiás fizeram um jogo cuidadoso. As defesas se destacaram mais do que os ataques.

João Paulo, do Atlético, e Walter, do Goiás, tiveram atuações discretas.

O Goiás teve mais posse de bola no primeiro tempo, o Atlético no segundo.

Não foi um bom jogo. Longe da capacidade dos dois times.

O Goiás foi mais ousado, o Atlético mais precavido.

Deixaram futebol para o segundo jogo.

O grande destaque (negativo) da primeira partida foram os lances polêmicos.

Dois lances de ataque do Goiás que poderiam ser marcados dois pênaltis.

Infelizmente, nesse item da regra de tocar a mão na bola o árbitro tem a liberdade de interpretar ou não a intenção, logo a marcação é subjetiva.

Na minha opinião o Goiás foi prejudicado, pelo menos no primeiro lance, pois a bola tinha direção ao gol.

No segundo, pode-se interpretar como involuntário. Eu interpretei assim.

Mas há de se admitir uma coisa:

Se nos dois lances tivessem sido marcados os pênaltis não teria polêmica.

Também acredito, que se fosse o Wilton Sampaio marcaria os dois.

Veja os lances:





2 comentários:

  1. André,
    discordo de você, o árbitro não tem liberdade. Ele tem que julgar se houve ou não intenção do jogador em colocar a mão na bola. Pra mim, pela proximidade dos jogadores à bola e o movimento realizado, não foi pênalty. Veja que o Leonardo leva a mão para trás, como se quisesse tirar o braço da frente e não para frente, como se quisesse bloquear a bola...

    O Giareta nem viu a Bola...

    Veja o livro de regras explicativo:

    “Tocar a bola com a mão”.

    "Tocar a bola com a mão
    Tocar a bola com a mão implica a ação deliberada de um jogador fazer contato na bola com as mãos ou os braços. O árbitro deverá considerar as seguintes circunstâncias:

    • o movimento da mão em direção à bola (e não da bola em direção à mão);

    • a distância entre o adversário e a bola (bola que chega de forma inesperada);

    • a posição da mão não pressupõe necessariamente uma infração;

    • tocar a bola com um objeto segurado com a mão (roupa, caneleira etc.) constitui uma infração;

    • atingir a bola com um objeto arremessado (chuteira, caneleira etc.) constitui uma infração."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por participar Léo

      Interessante demais a regra e a gente vê que não é fácil em frações de segundos interpretar a intenção.

      Em lances como esse vejo então que não podemos dizer que o árbitro tenha errado e sim que teve uma avaliação diferente de quem está assistindo a jogada.

      Excluir