Páginas

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Caso Massagista: STJD vai marcar outro jogo

O que aconteceu no último sábado em Juiz de Fora/MG foi vergonhoso. O caso repercutiu de forma muito negativa e com certeza haverá uma punição para que não volte a ocorrer.

O Código Brasileiro de Justiça Desportiva é claro:

Art. 243-A. Atuar, de forma contrária à ética desportiva, com o fim de influenciar o resultado de partida, prova ou equivalente. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
PENA: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais), e suspensão de seis a doze partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, ou pelo prazo de cento e oitenta a trezentos e sessenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código; no caso de reincidência, a pena será de eliminação. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
Parágrafo único. Se do procedimento atingir-se o resultado pretendido, o órgão judicante poderá anular a partida, prova ou equivalente, e as penas serão de multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais), e suspensão de doze a vinte e quatro partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, ou pelo prazo de trezentos e sessenta a setecentos e vinte dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código; no caso de reincidência, a pena será de eliminação. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).´

O que vai acontecer?

O jogo já está sub-júdice, ou seja, ainda não valeu. Na segunda-feira acontece o primeiro, talvez único, julgamento.

A Aparecidense vai tentar, sem sucesso, manter o resultado.

O Tupi/MG vai tentar desclassificar o time goiano. O que seria justo, mas impossível, pois não há previsão legal para isso.

A procuradoria vai sugerir a aplicação do código com a realização de uma nova partida. E é isso que irá acontecer.

A Aparecidense alega falta de segurança se precisar voltar a jogar em Juiz de Fora/MG.

Aí é outra história, o Tupi teria que perder mando de campo. Embora a Aparecidense relate que torcedores teriam invadido e que o clima teria ficado hostil naquele jogo, não há relatos dessas situações na súmula dessa partida.

Se o time não for à campo será suspenso dois anos e não poderá participar nem do Campeonato Goiano. Portanto, se o STJD marcar outro jogo, a Aparecidense vai ter que ir.

E mesmo assim a Aparecidense continuará favorecida, por ter mais 90 minutos para conseguir uma classificação que não merece ter.

E por último, por ser réu primário, Esquerdinha deve pegar no mínimo 180 dias de suspensão, embora mereça os 360.




Nenhum comentário:

Postar um comentário