Páginas

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

A falta de bom senso do Bom Senso FC

Achei interessante quando surgiu o Bom Senso FC.

Tudo que for para melhorar é bem vindo.

Na minha opinião o Bom Senso deve ser um movimento de discussão da organização do futebol. Discutir mas não impor.

Criticar cartolas seria mais cômodo, mas não vou nessa onda. Precisamos ter discernimento (bom senso) do que nos parece bom ou ruim.

Aliás, para os jogadores parecia estar tudo certo, ninguém reclamava de nada até um dia desses, isso até sair o calendário de 2014 com um período de férias reduzido.

Aí, alguns jogadores como Alex, Rogério Ceni, Cris, Dida, Paulo André, Seedorf e Juninho Pernambucano, deram o grito. Junto com a reclamação do calendário acabaram surgindo outras reivindicações.

O movimento ganhou apoio de outro jogadores, muitos com certeza até nem sabem direito o que reivindicam.

A CBF publicou uma nota recente divulgando o encaminhamento de providência das reivindicações do movimento.

Mesmo com alguns pontos ainda divergentes já foi um avanço. E a CBF propõe o período de recesso para aprofundar a discussão.

Paulo André, um dos líderes do BSFC, disse que a nota foi vaga e que os protestos aumentarão.

Peraí? O que ele queria?

Então meia dúzia de jogadores lançam uma série de propostas e aí tudo deve ser aceito na hora?

Baseados em que eles tem convicção de que as idéias propostas, ou impostas, vão ajudar o futebol brasileiro?

A idéia do Fair Play financeiro é excelente. A proposta do BSFC é 100% viável.

Mas a proposta de calendário com 650 times na Copa do Brasil é coisa de doido. Os estudiosos que nunca foram a um estádio, que não conhecem nenhum time, se baseiam na Copa da Inglaterra, um país menor do que o estado do Maranhão.

Reduzir o número de jogos é interessante. Mas tirar datas dos estaduais é para matar os times pequenos.

Sem contar o disparate de propor as "Copas Estaduais" com 32 times, onde em alguns estados o número de participantes poderia ser completado com times amadores. Ah não, gente! Me ajuda aí!

Se os estaduais tiverem 7 datas, poderemos ver o Gauchão sem Gre-nal, Carioca sem Fla-Flu, Goiano sem Goiás X Vila, paulistão sem Corinthians x Palmeiras e etc. Seria a morte das rivalidades regionais. Fora que acabará a oportunidade dos pequenos de ter um calendário mínimo, que hoje é de apenas 3 meses.

E o pior é que ninguém perguntou para os pequenos se é isso que eles querem.

O Bom Senso FC, tem que agir como o nome que o determina. Não pode ser um movimento intransigente e elitista, com jogadores endinheirados em fim de carreira, reclamando o que hoje está ruim para eles, mas que está bom para outros. Há de se pensar nos outros 95% de jogadores que sonham estar no lugar deles, jogando 60, 70, 80 vezes por ano, ganhando bons salários e bichos.

Ainda sobre o calendário, há de se ressaltar, que o problema também está na Conmebol, a Libertadores e Sul-Americana hoje são competições inchadas. Me lembro do futebol Brasileiro ter 3 vagas para a Libertadores, hoje são 6, e outras 4 para a antiga Copa Conmebol, hoje são 8.

Então a discussão é muito mais ampla.

Não é coisa para ser resolvida na base da birra, fazendo bico, cruzando os braços e arrastando o bumbum no chão em campo de futebol.

É preciso da opinião dos clubes, das federações e dos sindicatos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário