Páginas

quarta-feira, 8 de maio de 2013

Vila Nova surpreende e contrata Márcio Bittencourt


O Vila Nova anunciou o seu treinador para a Série C.

É Márcio Bittencourt, ex-jogador que teve o seu auge no Corinthians onde iniciou a sua carreira de treinador.

Na época, em 2005, Márcio comandou o milhonário Corinthians de Tevez na era MSI. Foi substituído por Antônio Lopes nos últimos três meses do Brasileirão conquistado pelo time paulista.

Trabalhando a 8 anos como técnico, ele não teve resultados expressivos, passou por muitos times médios e pequenos, não nenhum acesso e conquistou apenas o modesto título da Copa Paulista pelo Juventus em 2007.

Bittencourt trabalhou no Brasiliense, Fortaleza, América-SP, Juventus-SP, Noroeste-SP, Ipatinga-MG, Santa Cruz-PE, Náutico-PE, Ponte Preta, Monte Azul-SP, Volta Redonda, Icasa, São José e Itumbiara.

No Itumbiara, no ano passado, Márcio trabalhou apenas 4 jogos, empatou duas e perdeu outras duas e acabou demitido.

Ao ser perguntado onde fez o melhor trabalho, o treinador disse que talvez seria mais fácil dizer onde passou menos raiva.

Acredito que Márcio e a nova diretoria de futebol do Vila merecem um voto de confiança.

Mas não posso trair minha consciência e dizer que foi uma boa contratação.

O diretor de futebol Hugo Jorge Bravo disse que seria criterioso na contração do novo treinador.

Me parece que nesse caso não foi bem assim.

Márcio Bittencourt é uma aposta.

O Vila dá uma oportunidade a um treinador que nunca fez um trabalho que o clube espera que faça.

Disseram que Hermógenes Neto seria o auxiliar técnico de qualquer treinador que viesse.

Não será.

Márcio trouxe o auxiliar Venâncio Moreira. Neto pode ser um segundo auxiliar.

Tomara que as coisas se encaixem, mesmo começando com algumas contradições.

Que o Vila dê condições de trabalho para que Márcio coloque conquistas pelo Vila Nova em seu currículo.

Absurdo no Campeonato Paulista


A Federação Paulista de Futebol promove no estadual um tal de "Torneio Campeão do Interior".

Assim está no regulamento:

Concluída a fase quartas de final, as equipes classificadas entre 5º e 8º lugares se classificam para a disputa do Troféu Campeão do Interior. 

Equipes da capital de São Paulo e o Santos não podem participar desta disputa. Caso uma delas fique entre 5º e 8º nas quartas de final, as equipes interioranas subsequentes na tabela se classificam para a competição.

Este Troféu será disputado em duelos nos mesmos moldes das semifinais e finais do Paulista.

Pois é...

Esse é um torneio de "consolação" para os eliminados.

Teoricamente os elaboradores da tal fórmula de disputa deduzem que os times do interior dificilmente estarão nas semifinais do Paulistão.

Apesar de ser a tendência, nem sempre isso dá certo.

O Mogi-Mirim, com um time muito bom, passou para as semifinais.

Para as semifinais "Tabajaras" ficaram os eliminados Botafogo, Penapolense e Ponte Preta. O Palmeiras, também eliminado, não poderia participar.

A Linense, eliminada na primeira fase, voltou ao campeonato depois de até ter liberado alguns jogadores.

A Ponte e o Penapolense passaram para a "final".

O 5º colocado (Ponte) ou o 8º (Penapolense) será o Campeão do Interior.

Imaginemos o improvável, mas não impossível: Que os quatro semifinalistas fossem do interior e os quatro eliminados fossem os da capital? O torneio do interior então teria equipes que nem se classificaram para a segunda fase.

O quarto, o Mogi-Mirim, verdadeiramente o melhor do interior, que quase eliminou o Santos, não será nada. E se fosse o Campeão Paulista, ganharia o troféu de melhor do estado, mas não o de melhor do interior.

Ou seja, uma fórmula de disputa com um item discriminatório provoca uma contradição sem explicações.

Ah! Vale lembrar que esse torneio vale 250 mil reais para o campeão.

Fato que piora a situação.

O dinheiro vai para as mãos erradas.

Coisa de doido né?

terça-feira, 7 de maio de 2013

Goianão: FGF coloca 10 mil ingressos da para a final


10000 ingressos na promoção da nota.

É a oportunidade mais barata para adquirir os ingressos para a decisão do Goianão:

A Federação Goiana de Futebol realiza nesta quinta e sexta-feira, 9 e 10 de maio, das 9 às 17 horas, a troca de notas fiscais por ingressos da promoção Nota Show de Bola para o primeiro jogo da Final do Goianão Chevrolet 2013, entre Atlético Goianiense e Goiás. Ao todo serão disponibilizados 10 mil bilhetes promocionais. Os postos de troca funcionam nos estádios Hailé Pinheiro e Antônio Accioly. A partida será no domingo (12), às 16 horas, no estádio Serra Dourada.

Para obter ingressos para os jogos os torcedores devem apresentar no posto de troca de cada partida R$200 em notas fiscais emitidas no estado em 2013 com mais a doação de um quilo de alimento, que deve ser necessariamente arroz, feijão macarrão ou óleo. A promoção Nota Show de Bola é realizada pela Federação Goiana de Futebol em parceria com o Governo de Goiás.


Partida: Atlético Goianiense X Goiás
Estádio: Serra Dourada
Data/Horário: 12/05 – Domingo – 16:00 horas
Postos de troca:

Estádio Antônio Accioly
Avenida Perimetral N.º 921 - Setor Campinas – Goiânia

Estádio Hailé Pinheiro
Avenida Edmundo Pinheiro de Abreu N.º 721 – Setor Bela Vista – Goiânia

Data / Horário:
Quinta-feira – 09/05 – 9 às 17 horas
Sexta-feira – 10/05 – 9 às 17 horas

Fonte: Ítalo Ramalho, Assessoria de Comunicação da FGF.

Técnico goiano é procurado pelo Vila Nova


O Vila Nova ainda não definiu o seu técnico para a Série C.

Até no mais tardar na quinta-feira o diretor de futebol Hugo Jorge Bravo promete uma definição.

Acredito que seria melhor tivessem definido antes da reapresentação. Se seria um novo técnico ou se Hermógenes Neto fosse efetivado.

Nesse ponto vejo que o Vila ainda não mostrou nenhuma mudança com o novo comando do futebol.

Os dirigentes fizeram uma sondagem ao técnico Zé Teodoro.

Seria uma grande contratação.

Zé Teodoro já conquistou 5 títulos estaduais no Nordeste. No Náutico, Ceará, Fortaleza e dois no Santa Cruz.

Zé, ex-jogador do Goiás, é goiano de Anápolis. Em Goiânia teve uma oportunidade curta no Atlético em 2008.

Ele sabe lidar com times em que a pressão é grande e a condição é pequena.

Só foi uma sondagem, o Vila tem interesse, mas a grana é curta.

É aguardar.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Goiás X Atlético, os melhores, a final mais justa.


Esperava-se que essa semifinal fosse mais fácil para o Goiás.

Talvez até tenha sido. Só os primeiros 20 minutos do 2º tempo acabaram com a festa da Aparecidense.

No restante, incluindo o primeiro jogo, o Goiás sempre teve mais posse de bola, criou mais chances, tanto que o goleiro Pedro Henrique foi o melhor em campo no Serra Dourada.

A Aparecidense fez o máximo que pôde. O Goiás poderia ter feito mais. O amplo favoritismo fez com que o time não atuasse .

Não sou daqueles que tenha suspeita de que tenha havido alguma facilitação por parte da Aparecidense.

O Goiás não precisava disso e os jogadores da Aparecidense queriam mostrar serviço.

A Aparecidense fez um segundo tempo desligado, assim como o Goiás tinha falhado nos outros três tempos. E time pequeno rói a corda mesmo.

O Goiás chega à final com merecimento, assim como o Atlético.

Na semifinal do Dragão, se esperava um pouco mais de dificuldade. O Atlético atropelou um Goianésia que havia chegado ao seu limite a muito tempo.

A final mais justa e esperada, dos dois times que polarizaram as forças no futebol goiano nos últimos 8 anos.

Tudo o que aconteceu até agora é relativo na final. O momento do Atlético é melhor. A vantagem dos dois resultados iguais pode ser fundamental para o Goiás.

Não aponto favorito.