segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Rivais nas arquibancadas

Estamos no fim do poço.

E o torcedor de bem, que é maioria, fica prejudicado e sem segurança.

As cenas das arquibancadas do Serra Dourada no último domingo mostram uma situação extremamente grave.

Depois de balas perdidas, raio laser, confrontos de torcidas rivais, agora a moda é o embate entre entre sub-divisões da própria torcida.

Daqui a pouco a polícia vai ter que separar integrantes de uma mesma torcida. Será o fim dos tempos.

Nos jogos do Goiás contra o São Paulo e Atlético/PR, jogadores desesperadamente pediram paz às arquibancadas.

O time que faz uma linda campanha no Brasileiro terá as suas chances de Libertadores seriamente comprometidas com as perdas de mando de campo que certamente virão.

É provável que, no Brasileiro, o Goiás nem jogue mais no Serra Dourada.

O prejuízo é incalculável.

Walter e companhia colocam o Goiás em 5º do Brasileirão.

Baderneiros colocam o time esmeraldino como campeão em julgamentos para perda de mando de campo. São mais de 30 nos últimos anos.

Chega!

E a solução?

É o que todos já sabem. Medidas preventivas e punição.

Mas tudo deve vir de uma conscientização geral. Que a cultura da violência seja substituída pela cultura do respeito ao próximo.

Que todos os torcedores que forem ao estádio torçam pelos seus times e não por facções, mesmo fazendo parte delas.