Páginas

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

E se fosse o Fluminense?

E se fosse o Fluminense no lugar da Portuguesa?

A CBF teria notificado o STJD sobre o jogador "irregular"?

O procurador geral Paulo Schimdt ofereceria denúncia ao Flu? Ou seria coerente a 2010 quando disse que era moral prevalecer o resultado de campo?

Será que o STJD rebaixaria o Fluminense ou reconheceria que não estava cumprindo o estatuto do torcedor em relação à divulgação do resultado dos seus julgamentos?

O advogado do Fluminense citaria o "Pequeno Príncipe"?

Se o Fluminense fosse pedir um adiantamento, a CBF colocaria como condição que não entrassem na justiça?

Se torcedores do Fluminense conseguissem liminares colocando o time na primeira divisão a CBF tentaria cassar alguma?

Será que a CBF, na presença do representante da Globo, proporia um pacto aos times, para que nenhum procurasse ou se beneficiasse de alguma decisão da justiça comum, sob pena de não receber cotas da televisão?

Será que a TV Globo faria vistas grossas sobre uma investigação de que a entrada do jogador em campo possa ter sido motivada através de um suborno?

Será que a CBF tentaria tirar o promotor do caso? Ou a CBF incentivaria uma investigação, para justificar que o Flu não mereceria o rebaixamento, diante de um suposto ato criminoso de um funcionário?

E se fosse o Fluminense?

Nenhum comentário:

Postar um comentário