Páginas

sexta-feira, 15 de maio de 2015

Caso Boca x Ríver terminará em pizza apimentada?

Torcida com gás de pimenta, Drone, sorte que não teve revólver, metralhadora e granada de mão.

O que aconteceu no jogo entre Boca Juniors X River Plate nesta quinta-feira, é só a consequência de anos e anos de vistas grossas das autoridades, para as barbaridades que acontecem sempre no Libertadores.

Sempre aconteceu de tudo. Foguetórios de madrugada nas portas hotéis que se hospedam os visitantes, vestiários sem água e sem local de aquecimento para os jogadores, àrbitros caseiros que deixam a violência correr solta, atos de racismo e muito mais.

O lugar mais tranquilo para se jogar é disparadamente o Brasil. Apesar de ter partido de brasileiros um dos atos mais graves da história. A morte do garoto com o sinalizador em Oruro ficou na impunidade e no esquecimento.
Conmebol chegou a anunciar a classificação do Ríver.

Absurdo promete ainda promete ser o desfecho do gás de pimenta. Infelizmente acredito mais uma vez na impunidade. A Conmebol chegou a anunciar a exclusão do Ríver, depois voltou a atrás e sustentou a dúvida.

O Boca, mesmo não sendo diretamente culpado, merece punição. A atitude do seu torcedor visava prejudicar o adversário do Boca. Livrar o clube de punição é abrir precedentes para que nos próximos confrontos as torcidas venham a buscar estratégias semelhantes ou piores. Não há limites para bandidos.

Uma evidência da impunidade é que a perícia teria chegado à conclusão que o gás de pimenta foi disparado de dentro do campo e não da torcida.

A perícia desafia a imagem que todos viram.

Será que eles acham que o próprio Ríver, com a classificação na mão, teria provocado o ocorrido?

Qual seria a explicação?


Nenhum comentário:

Postar um comentário