Páginas

quinta-feira, 1 de novembro de 2018

Final argentina na Libertadores. O que deu errado?

O futebol brasileiro começou a Libertadores com 8 times e nenhum chegou na final.

Seria uma crise técnica? Algo precisa ser repensado?

Menos né gente. Tudo na vida precisa ser melhorado, mas não vamos criar fantasmas. Não é o fim do mundo, não estamos no pós 7 a 1.

Para começo de conversa é time demais para uma competição que deveria ser mais enxuta. O torneio, criado para ser a disputa entre os melhores do continente, tem a participação de medianos que não conseguiram estar nem entre os melhores dos seus respectivos países.

Um deles foi a Chapecoense que já saiu na Pré-libertadores para o Nacional do Uruguai. Convenhamos, foi longe demais né?

Outro foi Vasco que passou para a fase de grupos e foi o único brasileiro que não foi para as oitavas. Pelos problemas dentro e fora de campo foi uma baita campanha.

Aí chegamos no mata-mata, onde Santos colocou um jogador suspenso para jogar e perdeu a classificação para o Independiente. Tinha condições de ir mais longe, mas foi amador.

O limitado Corinthians foi eliminado pelo Colo-Colo do Chile.

O Cruzeiro tirou o Flamengo, depois enfrentou o Boca onde teve problemas com o VAR e a expulsão injusta do Dedé. Os jogos foram equilibrados, dava pra passar.

O Palmeiras com a melhor campanha da primeira fase por pouco não se complicou contra o Cerro Porteno por causa de uma expulsão do Felipe Melo, mas passou fácil pelo Colo-Colo em seguida.

O Grêmio passou nos pênaltis contra o Estudiantes e depois atropelou o Atlético Tucúman com 6 a 0 no agregado.

E veio a semifinal. Os brasileiros poderiam ser considerados favoritos, mas não absolutos.

O Felipão me inventa de colocar o Palmeiras dando chutão no jogo de ida, perde por 2 a 0 e azeda o doce.

E o Grêmio, com a classificação nas mãos, foi engolido em casa pelo bom time do Ríver Plate.

E vamos às perguntas do início:

Seria uma crise técnica? Algo precisa ser repensado?

Não é bem assim. Primeiro devemos dar mérito a quem passou. Depois podemos questionar as estratégias, faltou coragem para o Palmeiras no primeiro jogo e personalidade para o Grêmio no jogo de volta.

Vale lembrar que o Grêmio ainda pode ir para a final. O tribunal da Conmebol ainda vai julgar o caso do treinador Marcelo Gallardo, do Ríver.

Inclusive, em sua conta oficial no Twitter, a entidade publicou uma imagem da final com o asterísco: "(*) Sujeito à decisão da Unidade Disciplinária com respeito ao protesto do Grêmio".

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Vídeo comentário: CASO MARCELO GALLARDO, O GRÊMIO TEM RAZÃO?

A malandragem de Marcelo Gallardo

Eliminado pelo River Plate nesta terça-feira, o Grêmio pede os pontos da partida e consequentemente a sua classificação para a final da Libertadores da América.

O protesto vai se baseia na irregularidade cometida por Marcelo Gallardo.

O técnico espertalhão, que estava suspenso pela Conmebol, utilizou um rádio para se comunicar com os auxiliares no gramado.

Não satisfeito, mostrando toda a sua falta de caráter ainda teve a aúdácia de entrar no vestiário no intervalo do jogo.

Depois da partida, em entrevistas admitiu que não acatou a ordem da entidade máxima do futebol sul-americano e não se arrepende do que fez.

O Grêmio alega que essa interferência externa, de uma pessoa que estava impedida de participar do jogo, influenciou no resultado.

Se interferiu? Acredito que sim.

Se merece ir para a final? Também acredito que seria justo.

O Ríver e seu treinador usaram deliberadamente de atitudes anti-desportivas e levaram vantagem com isso.

Mas não acredito que a Conmebol fará isso.

O que é lamentável.

Mas o futebol brasileiro não toma vergonha, no ano que vem tudo será do mesmo jeito, irão priorizar a competição em que sempre estão em segundo plano.